“Quero o que os adeptos querem, quero vencer”

Em conferência de Imprensa realizada no Seixal, o treinador do Benfica, Bruno Lage, lançou o desafio com o Marítimo, da 29.ª jornada da Liga NOS, e deixou a receita para se alcançar os três pontos na Pérola do Atlântico.

O técnico anteviu um desafio complicado, sublinhou que todos contam no grupo de trabalho, assegurou que vai continuar com a mesma determinação para ganhar e considerou ter a confiança do plantel e da direção do Clube.

Bruno Lage

Que antevisão pode fazer ao jogo com o Marítimo, tendo em conta as ausências de Rúben Dias e Gabriel? Que alternativas está a ponderar a estes jogadores?

Antes de responder à sua questão, duas considerações. Quero felicitar um grande homem, um verdadeiro exemplo para mim, um homem sério, honesto, verdadeiro, trabalhador, que é o meu pai. Faz anos hoje e sou-lhe eternamente grato por me ter passado estes valores. É uma oportunidade única de, em direto, lhe enviar esta mensagem e desejar-lhe um dia feliz. A segunda consideração, e, porque entendo que este é o local certo para o fazer, tem que ver com as minhas declarações na última conferência. Lamento que tenha causado alguma perturbação. Nunca foi minha intenção ofender ninguém. As minhas declarações foram feitas em função de uma pergunta específica que se tem repetido. As minhas declarações foram nesse sentido. Desde que sou treinador, nunca tive problemas com ninguém, seja jornalistas, treinadores, árbitros. Se as minhas declarações a essa pergunta específica, ofenderam, aqui estou eu a retratar-me no local próprio. Nunca quis ofender a vossa classe [jornalistas], que quer o melhor para o futebol português.

Vai ser um jogo muito difícil. O Marítimo tem uma excelente equipa, com uma equipa técnica experiente, que conheço bem. Temos de fazer um excelente jogo. Temos várias soluções para apresentar em campo, mas só as vou apresentar amanhã [segunda-feira].

Bruno Lage

O Benfica apresenta uma fase com duas vitórias em 12 jogos. Bruno Lage disse que já tinha identificado o problema, mas os resultados não aparecem. Sente que tem de revolucionar o onze ou mudar a táctica?

É preciso continuar a trabalhar. Revolução no onze? Há seis ou sete meses e dizer-vos que ainda me iam colocar essas questões. Quando mudava, era porque perdia… Temos uma equipa muito boa, competitiva e com todos os jogadores disponíveis para ajudar. Nunca desisti de ninguém. Ninguém desisti do Adel [Taarabt], nunca desisti do Zivkovic, que apareceu agora a dar sinais. Teve uma reentrada muito boa e está disponível para ajudar. Sinto a equipa comigo e disponível para ajudar. Se nunca desisti de ninguém, também não vou desistir de mim. O que prometo sempre é a minha forma de trabalhar, a minha dedicação e competência.

Bruno Lage

Num ciclo de duas vitórias em 12 jogos, um treinador de um clube da dimensão do Benfica tem condições para continuar?

Sim. Há algo que todos temos de perceber. No ano e meio que cá estou, nunca estive aqui a comentar ou a recordar o que de positivo tínhamos feito. Se há recorde que tenho na cabeça é este, que é negativo. O Benfica nunca tinha passado por esta situação e estou consciente do atual momento e das circunstâncias dos resultados. Desde o primeiro dia aquilo que me caracteriza é trabalhar, lutar e preparar sempre os meus jogadores e o jogo seguinte da melhor forma. Isso é o que vou fazer. Disputar este Campeonato, que com a paragem de três meses e este reinício dos dois primeiros classificados algo irregular, tem uma caracterização específica nestes últimos dez jogos, como tal é algo que temos de nos adaptar. Como treinador do Benfica tenho de apresentar soluções para vencermos jogos. Há algo que tem de ficar bem claro. Quero o que os adeptos querem, quero vencer.

A minha maior alegria não foi ter vencido o que quer que seja. A minha maior alegria foi aquela que nós, jogadores e staff pudemos proporcionar a quem nos apoia, com as nossas vitórias, conquistas e forma de jogar. Trabalhamos de uma forma muito empenhada para que isto seja uma constante. Não me desvio disto: preparar o presente e o futuro para que o Benfica seja sempre melhor e maior.

Bruno Lage

Tendo em conta os golos que a equipa tem sofrido, as bolas paradas defensivas são um aspeto que mais preocupação lhe estão a dar?

É uma boa questão. Todas as equipas têm, nas várias circunstâncias, forças e fraquezas. Essas fraquezas evidenciam-se mais quando há golos. Temos trabalhado muito, é algo que temos de nos preparar em função daquilo que são os problemas que o adversário nos pode colocar. Nestes últimos desafios as equipas preparam-se para atacar um determinado lugar na classificação, mas temos trabalhado bastante esse aspeto. O que não podemos dar de raiz é altura aos nossos jogadores ou uma postura diferente nesse momento. O que tem de se fazer é trabalhar muito e, enquanto treinador, há que esconder as nossas fraquezas e potenciar muito as nossas virtudes.

Bruno Lage

O resultado do jogo na Madeira é determinante para a sua carreira?

Não! Eu falo por mim! Com toda a força, motivação e determinação desde que cá cheguei, disputar o Campeonato até ao fim e vencer a Taça! Falo por mim, pelas minhas convicções, e pela forma como vejo a equipa a treinar.

Bruno Lage

Foi uma semana atribulada no Benfica onde se tem discutido muito o seu futuro? O que vai acontecer ao futuro de Bruno Lage?

O que vai na minha cabeça é muito claro. Quero disputar este Campeonato até ao fim e vencer a Taça de Portugal, porque foi algo que eu, com os meus jogadores, alcançámos.

Bruno Lage

Sente-se um treinador a prazo no Benfica?

Não! É como disse, não sei a forma como encara a sua vida, mas encaro a minha de uma forma muito positiva e objetiva. O que vai na minha cabeça é disputar este campeonato até ao fim e vencer a Taça de Portugal. É isso que me passa na cabeça.

Bruno Lage

Como é que está a relação com o grupo de trabalho. Sente que os jogadores estão consigo?

Claramente. Com os que cá estão e com os que já saíram. Ainda recentemente recebi uma mensagem de um dos jogadores que saiu. Deve estar no Brasil a gozar as merecidas férias. Um indivíduo como ele, que teve os treinadores que teve, a carreira que teve e que tem a humildade de enviar a mensagem que enviou… Aproveito para mandar daqui um abraço ao Jonas. Ele marcou muito a minha carreira, eu marquei-o.

Já disse que sente os jogadores consigo. Sente o mesmo quanto à administração?

Claramente!

Que comentário lhe merece uma suposta proposta feita pelo Benfica ao Jorge Jesus?

Não tenho nenhum comentário a fazer sobre isso.

Bruno Lage

“Aqui não há inimigos, há adversários”

“É com agrado que recebi as palavras do Sérgio Conceição na sua conferência de Imprensa. Tal como ele não gosta de ver um colega ser mal tratado desta forma. Ele, melhor do que ninguém porque foi jogador e treinador, sabe o que é esta vida e, recentemente, passou por essa situação e também não fiquei feliz. Aqui não há inimigos, há adversários. Curiosamente, num momento menos bom dele, também apareceu a tal pergunta, e ele respondeu com categoria. Um abraço para ele”, reconheceu Bruno Lage.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.