Benfica bate no fundo sem perspectivas de retorno

O Benfica anulou duas desvantagens, virou o jogo a seu favor (3-2), mas não aguentou essa posição no resultado nos minutos finais, que foram de água fria, com dois golos do Santa Clara e consequente vitória por 3-4 no Estádio da Luz na 28.ª jornada da Liga NOS

Na história deste duelo, a primeira aproximação perigosa a uma das balizas no relvado da Catedral foi desenhada a partir de um lance de bola parada. Gabriel, na execução de um livre direto a punir falta sobre Rafa, procurou o alvo com o pé esquerdo, mas a bola saiu sobre a barra (8′).

Do outro lado, na proteção das redes encarnadas, Odysseas mostrou reflexos e frieza ao minuto 13, fechando a porta do golo a Thiago Santana, que, com alguma fortuna na forma como o lance de contra-ataque se desenvolveu, conseguiu ficar cara a cara com o internacional grego. Organizado taticamente e afoito, o Santa Clara deixava aqui um aviso de respeito quanto à sua postura na partida, disputando o jogo pelo jogo.

Benfica-Santa Clara

Tentando colocar velocidade e gerar desequilíbrios no processo ofensivo, o Benfica voltou a agitar as águas aos 15′. Pelo corredor direito, Taarabt tirou um adversário da frente e cruzou tenso. A bola ficou ao alcance de Nuno Tavares, que cortou para dentro e rematou de pé direito, errando, porém, o alvo.

Nos pés de Weigl e Nuno Tavares nasceram mais duas possibilidades de assalto às redes do Santa Clara no momento minuto (19). O alemão, de livre direto, disparou com força para defesa de Marco para a frente, levando a bola a pingar perto da entrada da área, e foi dali que Nuno Tavares arriscou um tiro de pé esquerdo para nova parada difícil de Marco.

Benfica-Santa Clara

Taarabt cintilou de novo aos minutos 30, 32 e 40. No primeiro lance, após uma arrancada pelo corredor central, rematou sobre o travessão; no segundo, em contragolpe, libertou (o titular) Seferovic à esquerda, mas o 14 rematou ao lado na finalização (e a equipa de arbitragem assinalou fora de jogo); e no terceiro momento com assinatura do internacional marroquino o beneficiário foi Rafa, que se desmarcou na área, descaído para a direita, a fim de receber o passe do camisola 14. Depois, no duelo com Marco, Rafa rematou cruzado, mas o guardião contrário negou o golo.

Solto, descomplexado no terreno de jogo e replicando, o Santa Clara soube aproveitar espaços para ser incómodo. Atento a possíveis erros, os açorianos, por intermédio de Anderson Carvalho, capitalizaram um passe impreciso de Nuno Tavares, à saída da área, quando procurava lançar a equipa benfiquista para o ataque. Anderson Carvalho apoderou-se da bola, entrou na área pela direita e colocou a bola junto ao poste direito, rasteira, inaugurando o marcador (0-1) ao minuto 44.

Benfica-Santa Clara

Havia uma (injusta) desvantagem para tentar emendar no segundo tempo, e Bruno Lage trocou dois elementos na equipa: Vinícius e Zivkovic renderam Seferovic e Gabriel. Taarabt foi o primeiro a sobressair no reatamento, com mais um remate cheio de força e intenção. Na baliza, Marco sacudiu para o lado, para canto (46′).

Por Rafa, o Benfica chegou ao 1-1 ao minuto 50. Na direita, André Almeida, com um passe lateral, curto, serviu o camisola 27 na área, e este tratou de abrir uma brecha para rematar de pé esquerdo, enviando a bola, cruzada, para o interior da baliza.

O Campeão parecia estar relançado para o desfecho positivo que perseguia, mas, na sequência de um canto cobrado do lado esquerdo por Rashid, o Santa Clara, eficaz, anotou o 1-2 num cabeceamento de Zaidu.

Perante mais um duro golpe, as águias foram outra vez atrás do resultado e igualaram (2-2) num golpe de cabeça de Vinícius aos 63′. O avançado brasileiro foi imperial nas alturas, aproveitando o canto executado à esquerda por Pizzi (11.ª assistência na Liga NOS 2019/20) e uma saída em falso do guarda-redes Marco.

Benfica-Santa Clara

Com força para dar a volta, a equipa benfiquista alcançou o 3-2 pouco depois. Afiado entre os centrais, Vinícius cabeceou com êxito aos 65′, valorizando o cruzamento (sob a figura de assistência para golo) arrancado por André Almeida no flanco direito. Com estas duas finalizações certeiras, Vinícius vincou o estatuto de melhor marcador do Campeonato, liderando agora este ranking com 18 golos.

Na reta final do encontro, o videoárbitro Rui Costa entendeu que Rúben Dias cometeu penálti num lance aéreo, uma opinião que o árbitro João Pinheiro validou depois de ver as imagens. Cryzan, na cobrança do castigo máximo, rubricou o 3-3 aos 82′.

Com Cervi e Dyego Sousa em campo (substituíram Pizzi e Taarabt), o Benfica pensou num forcing final que lhe pudesse sorrir, mas faltou-lhe melhor definição de soluções e de caminhos nos últimos metros. Sempre perigoso no contragolpe, o Santa Clara potenciou uma carambola aos 90’+5′ e alcançou o 3-4 por Zé Manuel.

Na próxima ronda (29.ª) os encarnados deslocam-se ao reduto do Marítimo. A partida está agendada para as 18h00 de 29 de junho (segunda-feira).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.