Benfica regressa às vitórias e à liderança com muito sofrimento

De mangas arregaçadas para voltar de Vila do Conde com três pontos e continuar firme na discussão do título, o Benfica correu, lutou, transpirou, criou e respondeu a um momento de desvantagem com golos de Seferovic e Weigl, batendo o Rio Ave por 1-2 na 27.ª jornada da Liga NOS.

Tomás Tavares, Ferro, Nuno Tavares, Gabriel e Dyego Sousa foram novidades no onze benfiquista, que teve uma entrada positiva na partida, empurrando o adversário e conquistando três pontapés de canto nos primeiros seis minutos jogados.

Das várias aproximações tentadas à baliza vila-condense, as mais perigosas sucederam aos minutos 13 e 16. Na primeira situação, Pizzi, na recarga a um livre direto cobrado que ele próprio cobrara, por muito pouco não foi feliz, vendo a bola passar junto ao poste esquerdo. No segundo lance, sobre o centro do terreno, Taarabt trabalhou o esférico e lançou-o para o lado direito do ataque na direção de Dyego Sousa. O avançado ultrapassou um defensor e, em corrida, rematou de pé direito, com força, mas um pouco ao lado do alvo.

Rio Ave-Benfica

O Rio Ave rebateu a iniciativa das águias antes da meia hora e foi afortunado no primeiro momento em que se abeirou das redes de Odysseas. Na sequência de um livre batido na direita por Nuno Santos, a bola espirrou na cabeça de Dyego Sousa, em ação defensiva na zona do segundo poste, e ficou a mercê de Taremi, que, perto do poste direito, tocou para as malhas (1-0 aos 26′).

O Benfica procurou replicar de pronto: Nuno Tavares cruzou da esquerda, mas Dyego Sousa cabeceou ao lado (28′). Depois de um curto período de instabilidade no seu jogo, os encarnados reencontram o caminho da grande área do Rio Ave ao minuto 42. Taarabt, virtuoso num lance de um para um junto à linha lateral, embalou na direita e centrou rasteiro para a entrada fulminante de Rafa no coração da área. O golo do empate seria, no entanto, revisto pelo videoárbitro (Tiago Martins) e visionado pelo árbitro (Luís Godinho), saindo desta análise a decisão de invalidar o lance por alegado fora de jogo de Dyego Sousa.

Rio Ave-Benfica

As águias regressaram para a segunda metade do desafio com uma modificação no ataque: saiu Dyego Sousa, entrou Seferovic. E o internacional suíço foi protagonista aos 48′, aplicando um golpe de cabeça com colocação e força, acertando na barra. Na origem desta oportunidade de golo esteve o pé direito de Pizzi, num livre executado do lado direito.

Provocando mais espaços para entradas no espaço defensivo do Rio Ave, Seferovic desmarcou Rafa por entre os centrais aos 61′, mas o internacional português viu o guarda-redes Kieszeck sair da baliza e mergulhar aos seus pés, impedindo melhor finalização.

Já com Vinícius em campo (saiu Taarabt aos 62′) para fazer dupla com Seferovic no ataque, o Benfica criou condições para nova aceleração de Rafa, que foi parado em falta por Musrati. O médio vila-condense foi punido com cartão amarelo e, por ser o segundo no encontro, recebeu ordem de expulsão por acumulação.

O golo que o Benfica justificava há muito foi festejado ao minuto 64. Nuno Tavares infiltrou-se na esquerda e cruzou com a medida certa para a conclusão de Seferovic, de pé direito, na zona do segundo poste (1-1).

Seferovic

Uma falta mais rude de Nuno Santos sobre Pizzi motivou a segunda expulsão no Rio Ave. O lance ocorreu ao minuto 73 e, após revisão do videoárbitro e do árbitro, não deixou dúvidas a ninguém quanto à justeza da ação disciplinar.

Bruno Lage optou pela inclusão de Chiquinho aos 80′ (saiu Gabriel) e podia ter havido consequência quase imediata no resultado. O recém-entrado entendeu-se com Tomás Tavares na ala direita (82′) e, já na área, cruzou para o cabeceamento de Vinícius. À figura de Kieszeck!

O Benfica apertava nos últimos metros, somava cruzamentos e tentativas de finalização. O segundo golo do Campeão esteve à vista aos 85′, mas Seferovic cabeceou para fora, desaproveitando-se a solicitação de Nuno Tavares a partir da esquerda.

Mas a vitória, merecida, tinha de ser do Benfica, e foi! Num canto batido por Pizzi aos 87′ (mais uma assistência para o internacional português, a 10.ª nesta edição da Liga NOS…), Weigl subiu alto como ninguém e cabeceou o esférico na direção ao ângulo superior esquerdo. “Tor!” Golo! Em alemão se escreveu o 1-2.

Samaris e Jota ainda renderam Rafa e Pizzi em tempo de compensação. O triunfo não falhou ao Benfica, que agora, na 28.ª jornada, recebe o Santa Clara às 19h15 do dia 23 de junho (terça-feira). Parte para a próxima ronda na primeira posição da tabela classificativa (com os mesmos 64 pontos do FC Porto), detendo o melhor ataque (56 golos marcados) e a melhor defesa (17 golos sofridos).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.