Benfica espera regressar à competição sem lesionados

Eram três os processos clínicos que à data da paragem das competições, 12 de março, devido ao coronavírus, preocupavam a equipa técnica liderada por Bruno Lage. Após três semanas de recolhimento e sem data ainda provável para o regresso à normalidade, André Almeida, Jardel e Gabriel estão perto de receber luz verde para poderem trabalhar sem limitações, assim que for possível, sob as ordens de Bruno Lage. Três reforços para ajudar a águia na derradeira etapa da temporada, embora ainda sem data concreta para ser disputada.

André Almeida participou apenas 17 jogos esta temporada. Tem sido fustigado por sucessivos contratempos desde o final da época passada, altura em que jogou em esforço durante vários desafios para ajudar a equipa na fase da decisão da reconquista do título. O esforço valeu-lhe um regresso tardio esta época, tendo falhado toda a pré-temporada e o arranque dos primeiros jogos oficiais. Quando finalmente estava a entrar na rotina, voltou a sofrer revés no clássico com os dragões, onde um traumatismo no tornozelo direito o tirou da competição até à data da paragem, numa altura em que estava perto de voltar a 100 por cento. Foi para casa ainda com plano de recuperação, que tem cumprido à risca. Todas as semanas recebe a visita de elementos do departamento clínico que acompanham a evolução. Na ausência de André Almeida, Tomás Tavares tem sido o grande beneficiado: 25 jogos. Ainda assim com números de rendimento abaixo do experiente concorrente. Nas 17 partidas, André Almeida apontou dois golos e concretizou três assistências.

O processo de recuperação de Almeida é em tudo idêntico ao de Jardel. O central brasileiro, de 30 anos, esteve apenas em dez jogos esta temporada. Na primeira mão  da meia-final da Taça de Portugal, saiu ao intervalo com uma rotura do ligamento lateral interno do joelho direito. A data provável do regresso ficou definida para final de março, após a paragem para compromissos das seleções. O capitão dos encarnados perdeu a luta pela titularidade para Rúben Dias e Ferro, mas após a saída de Conti, em janeiro, o plantel ficou sem mais alternativas de raiz para o setor. E também Ferro enfrentou alguns problemas clínicos.

O problema de Gabriel foi o mais delicado. Autor de 24 presenças esta temporada, o médio brasileiro apresentava-se como um dos mais regulares até uma lesão ocular o obrigar a uma paragem por tempo indeterminado. Esta fase de recolhimento serviu para o recuperar e tudo aponta que quando a pandemia passar e a bola voltar ao relvado, Gabriel seja também um dos reforços de Bruno Lage. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.