Sofrer para fazer história em noite de estreia e regressos

Menos eficaz do que é costume, o Benfica fez 34 remates e teve 12 oportunidades de golo, 17 cantos e 66 por cento de posse de bola, mas só acertou nas redes contrárias por duas vezes. E, com muita garra e alma, fê-lo num contexto de reviravolta (0-1 para 2-1), batendo o Aves no Estádio da Luz na 16.ª jornada da Liga NOS 2019/20.

O 15.º triunfo em 16 partidas neste Campeonato permitiu ainda à equipa benfiquista alcançar 100 pontos na competição sob a liderança de Bruno Lage (35 jogos), o treinador que na história do Clube mais depressa atingiu aquela marca.

Pelo futebol que praticou e pelas oportunidades que gerou, o Benfica podia ter apontado pelo menos quatro ou cinco golos na primeira parte do desafio. Porém, nos momentos de finalização, a equipa benfiquista esbarrou nas intervenções de Beunardeau e nos cortes dos defensores avenses perto da linha de baliza, nas dobras ao guarda-redes.

Pior do que não acertar nas malhas adversárias foi sofrer um golo: ao minuto 20, Mohammadi desmarcou-se, acelerou pela direita, conseguiu passar por Ferro e, dentro da área, com ângulo diminuído, chutou por alto e rubricou o 0-1.

Em desvantagem, o Campeão foi avassalador na construção de ataques e na execução de remates. Pizzi (25′, 28′ e 45’+3′), Seferovic (29′ e 45’+3′), Chiquinho (34′ e 45’+3′) e Jota (39′ e 43′) tiveram nos pés diversas boas situações para igualar (e virar) o resultado ainda na primeira parte.

Benfica-CD Aves

Com Vinícius no lugar de Jota (Pizzi e Chiquinho funcionavam então à largura, enquanto Gabriel e o estreante Weigl preenchiam o espaço central do meio-campo), o Benfica apresentou dois avançados em cunha no começo do segundo tempo. O vendaval ofensivo das águias conheceu novos capítulos, o primeiro dos quais aos 50′, com Seferovic a queimar a linha defensiva do Aves e a chutar para nova defesa de Beunardeau.

Com uma decisão errada, Carlos Xistra mostrou cartão vermelho direito a André Almeida aos 52′ após uma falta sobre Mangas e quase estragava o jogo. E só não estragou porque foi salvo pela indicação do videoárbitro, acontecendo a inevitável reversão da cor do cartão (vermelho para amarelo aos 53′) depois de visionadas as imagens do lance.

O jogo era de sentido único e as ofensivas das águias sucediam-se. Já com Cervi em campo (rendeu Weigl aos 61′), o Benfica carregou e dispôs de um pontapé de penálti a castigar falta de Falcão sobre Vinícius na grande área ao minuto 74. Pizzi, na conversão da penalidade, enganou Beunardeau e anotou o 1-1 (76′).

Perante 50 760 espectadores no Estádio da Luz, os encarnados, empurrados pelos adeptos, continuaram a inclinar (cada vez mais) o relvado, acantonando os avenses na sua grande área.

E o momento de ouro da partida foi concebido aos 89′, com Vinícius a receber na área um passe de Cervi e a ceder curto para o “bilhete” de pé direito de André Almeida, em zona de finalização, batendo Beunardeau pela segunda vez (2-1). Foi o segundo golo do lateral-direito do Benfica na Liga NOS 2019/20 (ele que regressou à titularidade nesta partida) e a terceira assistência de Vinícius.

A 15.ª vitória das águias em 16 rondas do Campeonato estava garantida, e Samaris ainda foi a jogo (substituiu Seferovic aos 90’+3′) no encerramento de contas da partida.

Na próxima terça-feira (14 de janeiro) o Benfica recebe o Rio Ave às 21h15 nos quartos de final da Taça de Portugal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.