Ineficácia dita derrota na Luz com o RB Leipzig

O Benfica não conseguiu aproveitar tão bem como o Leipzig os desequilíbrios provocados e as ocasiões de golo criadas, perdendo por 1-2 no Estádio da Luz perante o conjunto alemão na 1.ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões.

Na noite em que Bruno Lage (castigado, ficou na bancada) lançou Tomás Tavares para a alta-roda e promoveu a estreia de outros dois jogadores da formação (Ferro e Jota, ambos titulares) na Liga dos Campeões, o Benfica susteve, com organização e capacidade de pressão, um primeiro ímpeto do Leipzig na abertura do encontro.

Vivo e intenso nas ações de discussão da posse de bola, o jogo “ofereceu” ao Benfica uma boa oportunidade para visar a baliza de Gulásci ao 11′. Raul de Tomas, que fora derrubado por Orban perto da área da equipa alemã, assumiu a cobrança do livre direto. A bola passou por cima da barreira, mas ganhou alguma altura e sobrevoou a trave.

Com Fejsa muito ativo e eficaz na zona defensiva do meio-campo, somando desarmes, interceções e roubos de bola, as águias desenvolveram um lance ameaçador ao minuto 24. Grimaldo, à esquerda, libertou Cervi (de regresso ao onze) e este cruzou na tentativa de servir Raul de Tomas ou Jota (segundo avançado), mas a bola seria afastada da grande área pela defensiva do Leipzig.

Benfica-RB Leipzig

O comandante da Bundelisga, com muita gente rápida e habilidosa nas zonas ofensivas, obrigava os jogadores do Benfica a darem o máximo. Odysseas, aos 26′, estirou-se e parou um remate de Werner.

A resposta dos encarnados não tardou e nasceu de uma excelente iniciativa de Taarabt na zona central do meio-campo. A jogada prosseguiu pela esquerda, por onde Grimaldo tocou no acelerador para ganhar posição e cruzar; Gulásci saiu da baliza e congelou o esférico nas luvas (29′)

Depois de duas arrancadas de Jota (41′ e 43′), uma pela direita e outra pela esquerda, o Benfica tornou a agitar o jogo, mas faltou-lhe ligar o último passe para construir uma clara oportunidade de golo.

Mesmo a finalizar o primeiro tempo, as águias viram o guarda-redes Gulásci negar o golo a Raul de Tomas por duas vezes no mesmo lance. Ataque bem desenhado, boa execução de RDT, mas o “keeper” do Leipzig foi determinante.

Benfica-RB Leipzig

Rápido nas manobras de transição da defesa para o ataque, o Leipzig voltou a dar trabalho e a criar problemas nos minutos iniciais do segundo tempo. Odysseas, aos 49′, esticou-se na pequena área e conseguiu matar “in extremis” uma ocasião de golo com a perna esquerda.

Volvidos apenas dois minutos, Raul de Tomas, num vistoso movimento da esquerda para o meio, disparou cortado de pé direito e a bola saiu muito perto do poste direito.

A qualidade e velocidade ofensiva do Leipzig metia respeito e “pedia” concentração e entrega máxima aos defensores do Benfica em todas as zonas de proteção das redes confiadas a Odysseas.

As águias, criando alguns espaços no ataque, tiveram Pizzi em zona de tiro aos 61′, mas Gulásci defendeu. Já com David Tavares em campo (outro jogador da formação do Benfica em estreia oficial), o mesmo Pizzi, aos 68′, descaído para a esquerda, fez tudo bem para receber a bola centrada por Tomás Tavares, mas depois o remate cruzado falhou a baliza por centímetros.

Do outro lado, o Leipzig foi mortífero: Timo Werner, aos 69′, recebeu um passe curto de Poulsen e, a queimar a área, atirou de pé direito e apontou o 0-1.

Benfica-RB Leipzig

De cabeça erguida, os jogadores do Benfica lançaram-se em busca do empate. Cervi, aos 70′, sofreu falta perto da linha limite da grande área dos alemães. Grimaldo, na execução do livre, atirou a pensar no golo, mas Gulásci voou e sacudiu para canto (71′). Ao minuto 74, passe a rasgar de Taarabt no corredor central e oportunidade clara nos pés de Cervi, mas este perdeu o duelo com o guardião do Leipzig.

Do lado das águias, as substituições foram esgotadas com as saídas de Pizzi e Cervi para as entradas de Rafa e Seferovic (76′). Porém, os forasteiros, em mais uma jogada rápida, conseguiram romper a linha defensiva do Benfica e anotaram o 0-2 por Werner, um golo validado por indicação do videoárbitro.

Seferovic

A equipa benfiquista não se rendeu, não se conformou… e alcançou o 1-2 aos 84′, num lance em que Rafa se esgueirou na direita, foi servido e depois endossou o esférico para a conclusão de Seferovic.

E o 2-2 podia ter acontecido no ataque seguinte, ao minuto 85, mas o tiro cruzado de Rafa, pela direita, fez a bola rasar o poste esquerdo. Houve alma, houve vontade, mas a bola não voltou a entrar na baliza do Leipzig.

O outro encontro do Grupo G terminou com um empate (1-1) entre Lyon e Zenit, equipa que as águias visitam na 2.ª ronda, em São Petersburgo, no dia 2 de outubro.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.