Bruno Lage na hora do rescaldo do seu primeiro título pelo Benfica

Objetivo cumprido! O Benfica reconquistou o título nacional, o 37.º da história encarnada, após vencer a formação do Santa Clara por 4-1. Na zona de entrevistas rápidas, Bruno Lage afirmou que o mais importante era somar os três pontos e mostrou-se feliz por ter vencido o primeiro título ao nível sénior.

A alegria dos adeptos e dos jogadores

“O mais importante de hoje era conquistarmos os três pontos para somar àquilo que foi uma 2.ª volta fantástica, um percurso fantástico e depois fiquei a ver aquilo que mais queria ver, que era a alegria dos nossos adeptos e a alegria dos nossos jogadores. Só fazia sentido assim. Fico feliz por ter conquistado o meu primeiro título ao nível sénior, mas aquilo que me dá mais felicidade neste momento é ver este público fantástico a vibrar e ver a alegria estampada nos rostos destes jogadores. É o que me faz realizado e feliz neste momento.”

Benfica-Santa Clara

Os segredos da 2.ª volta

“É o trabalho, é a perspetiva de jogar e treinar de uma maneira diferente, sentimos que o valor estava cá, porque esta equipa já tinha vencido anteriormente, e às vezes é um clique, é aproveitar o momento para reinventar, renovar, foi isso que nós fizemos, mexer um pouco com as dinâmicas da equipa, passar de um 4x3x3 para um 4x4x2 e depois as coisas correram com normalidade, com muita naturalidade e vivendo as coisas dia a dia. Neste momento o que é mais importante é festejarmos e estarmos contentes com o trabalho realizado.”

Benfica-Santa Clara

A homenagem a Jaime Graça… e não só

“Antes de conquistar o título, tínhamos de reconquistar os adeptos, e isso foi o primeiro passo para conseguirmos este objetivo. Jaime Graça não é o único homem importante na minha carreira, mas é também muito importante na minha vida. Há outros com que também terei oportunidade de partilhar este momento, mas esta primeira homenagem tinha de ser para ele e para o meu pai. O Carlos Carvalhal também é um homem muito importante na minha vida, o José Rocha foi a primeira pessoa com quem eu trabalhei, enfim, é um conjunto de pessoas que foram importantes até eu chegar aqui, e depois, claro, a aposta do Presidente em mim, do Tiago Pinto e do Rui Costa, que me apoiaram nesta aventura, por isso é muita gente para partilhar o meu percurso, mas a primeira homenagem tinha de ser para o Jaime Graça.”

Do sonho à realidade

“As coisas foram acontecendo, eu vim para a equipa B e acabo Campeão Nacional… é um sonho tornado realidade.”

O ADN encarnado

“Há coisas que não somos nós que dizemos. Desde há algum tempo que isso estava no ADN da equipa: o procurar e o querer sempre mais, e às vezes foi isso que nós tivemos de recordar. É como digo, não há grandes segredos, é a força do trabalho, a força do coletivo e que eles todos percebam que é em equipa que têm de funcionar. Depois é ir para o jogo, desfrutar e à medida que as coisas foram acontecendo, para dentro foi passar a mensagem de que eles podiam ir mais além, mas para fora a mensagem foi sempre de estabilidade e de fazer as coisas de uma forma tranquila e ir vivendo o jogo e as várias finais que nós fomos vencendo.”

Benfica-Santa Clara

O apoio da estrutura

“Ser treinador de uma equipa grande como o Benfica é nós tentarmos sempre ter uma visão macro para controlar tudo, mas a vontade que os jogadores tiveram em triunfar, juntamente com o apoio que tiveram desta estrutura maravilhosa, que me apoiou a toda a hora e que me deu todo um conforto desde o primeiro minuto, acabou por tornar o trabalho muito mais fácil.”

A história da Reconquista

“A nossa primeira vitória em Guimarães foi muito importante, foi o nosso terceiro jogo. A nossa vitória no final, a forma como eu vi a equipa unida e o facto de estarmos em Guimarães, eu tive a felicidade de dizer a seguinte frase: ‘Foi aqui que nasceu Portugal, vamos ver se é aqui que nasce aquilo que eu quero formar de vós.’ Sentimos que foi ali que reconquistámos os adeptos e que poderíamos, eventualmente, ir vivendo as coisas de uma forma tranquila, sempre de jogo a jogo, mas que eles não perdessem o foco do dia a dia e pudessem ver mais à frente que nós podíamos fazer algo extraordinário esta época, e foi isso que nós fizemos.”

festejos-1-new_thumbnail

O percurso profissional e pessoal

“Houve um período interessante por si só, quer no aspeto familiar, foi importante eu regressar a Portugal para estar mais perto da minha família, e depois foi o trabalho que fizemos na equipa B, juntamente com a equipa técnica que acabou por ser promovida como eu. Foi um momento importante, que nos fez conhecer melhor uns aos outros, profissional e pessoalmente. Depois jogando de três em três dias, salvo estas últimas duas a três semanas, não há muito tempo para pensar, é preparar as coisas e seguir em frente. É um feito enorme, mas nós passamos tanto tempo entre paredes, só com os jogadores e com a estrutura, que aquilo que se passa lá fora, até por uma questão pessoal, aquilo que eu vos dizia em tom de brincadeira, mas que era algo de muito sério, de ver o canal Panda, era porque eu queria ficar isolado de tudo, concentrar-me apenas naquilo que era o meu trabalho. Sentia que se tivesse essa determinação podia fazer um bom trabalho, e foi isso que aconteceu, por isso vamos agora tentar perceber o que aí vem, mas é claro que ficamos muito orgulhosos.”

Benfica-Santa Clara

“O Campeonato é nosso, tem que ser nosso”

“O mais importante para mim, é perceber aquilo que nós fizemos e é nisso que eu faço a minha análise. Não sei se fizemos a melhor 2.ª volta do futebol português, mas temos apenas um empate, fomos a equipa que igualou o recorde de 103 golos marcados, durante quatro meses fomos a melhor equipa a praticar futebol na minha opinião, com um calendário muito difícil como vocês sabem. Jogámos no Dragão, em Alvalade, Guimarães, Braga, Moreira de Cónegos, enfim, quando fazemos isto tudo, hoje o que eu disse aos jogadores foi que tínhamos de selar com uma grande exibição, com golos, porque o Campeonato é nosso, tem de ser nosso e não há outra forma de sair daqui.”

Manter o “run a lot”

“No futuro temos de continuar a jogar em equipa, perceber que se tem de correr muito e só jogando em equipa é que podemos atingir os nossos objetivos.”

festejos-2-new_thumbnail

A mensagem aos adeptos 

“As coisas comigo saem com alguma naturalidade, eventualmente passar uma mensagem de que o futebol é muito importante, mas há coisas muito mais importantes na nossa vida e na nossa sociedade. Temos de perceber que, quando se perde, há que dar mérito a quem vence porque senão no dia que eu ganhar não terá o mesmo sabor. É muito importante os nossos adeptos olharem para os nossos adversários, quer FC Porto, quer Sporting, quer Braga, quer V. Guimarães. É começar a tratar pelos nomes e deixarem-se daquelas coisas dos apelidos. Que esta Reconquista seja também a Reconquista do bom futebol e das boas maneiras. Tem de se começar a valorizar também aquilo que os outros fazem. Que esta Reconquista seja um ponto de partida para começarmos a pensar que o futebol é importante, é determinante, mas há outras coisas que são muito mais importantes do que o futebol.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.