“É um resultado justo porque venceu a melhor equipa”

Apesar da vitória do Benfica no clássico (1-2) e consequente subida à liderança isolada da Liga NOS, Bruno Lage recusa entrar em euforias, lembrando que “ainda há muitos pontos por disputar” e que a caminhada continuará a ser feita “jogo a jogo”.

CAMINHO PARA A LIDERANÇA

“Agradecer aos jogadores pelas duas coisas: pela atitude demonstrada no treino – em querer formar esta equipa que hoje [sábado] se viu aqui, competitiva – e também porque, de alguma forma, estão a fazer de mim treinador. Isso é muito importante. Tenho dito que o mérito é todo deles e esta caminhada de dois meses só tem sido realizada pelo trabalho que eles colocam em campo. Tinha consciência de que se treinássemos e jogássemos de uma determinada forma, poderíamos fazer um bom trabalho.”

Classico

ANÁLISE AO CLÁSSICO

“Fizemos uma primeira parte muito boa, com enorme qualidade, mantivemos o equilíbrio nas emoções com o golo sofrido, fomos à procura do nosso resultado e penso que até aos 1-2, durante os 60 minutos, fomos a melhor equipa. Depois o jogo começou a ser equilibrado, o FC Porto começou a responder e fez alterações importantes e determinantes para tentar dar a volta ao resultado. Apesar da expulsão [de Gabriel], controlámos o jogo e fechámo-lo de uma forma brilhante. É um resultado justo porque venceu a melhor equipa.”

“Seferovic e Pizzi falharam duas bolas claras de golo na cara do guarda-redes na primeira parte, onde, na minha opinião, fomos a melhor equipa. Houve uma entrada forte do FC Porto, fruto do ambiente que se vive no estádio. Estava planeado, pelo menos na nossa forma de jogar, não colocar os nossos médios a receber a bola de costas para a baliza do adversário. Puxámos um pouco ao jogo e à pressão e, com as nossas saídas por fora, com o tempo, o jogo ia ficar mais adequado àquilo que é a nossa forma de jogar. Foi isso que aconteceu. Tínhamos consciência do que tínhamos de fazer, quer a atacar, quer a defender.

Classico

A REVIRAVOLTA

“Gosto muito de usar a palavra ‘equilíbrio’. De alguma forma, quando estávamos por cima no jogo, sofremos o golo. É o que digo aos jogadores: se emocionalmente estivermos tranquilos e soubermos o que temos de fazer em campo, vamos mais tranquilos para o jogo, e foi isso que aconteceu.”

Classico

REAÇÃO À EXPULSÃO DE GABRIEL

“O FC Porto respondeu muito bem, abriu muito bem nas alas – a troca dos médios para sair a três com o Danilo no meio – e nós fechámos com cinco defesas – para não permitir cruzamentos –, três médios com alguma capacidade para sair na transição (Samaris no meio, Gedson na direita e Cervi na esquerda) e mantivemos o ponta de lança para segurar a bola. Foi também um jogo tático de ambas as partes, entre duas equipas de enorme qualidade, e ficamos muito satisfeitos porque, mais uma vez, aquilo que pensámos funcionou e correu bem.”

Classico

TESTES DIFÍCEIS FORA DE CASA

“Se fizéssemos os jogos todos ao mesmo tempo, não tínhamos hipótese. Jogo a jogo, treino a treino, vamos fazendo a nossa caminhada.

Classico

BENFICA COMO PRINCIPAL CANDIDATO AO TÍTULO

“Sim, a par com o FC Porto. Mas temos de manter o nosso equilíbrio, as nossas emoções. Fizemos um grande jogo, estamos num bom momento, mas vamos continuar a jogar de três em três dias – Campeonato Nacional, Liga Europa, Taça de Portugal – e temos de nos manter focados no treino e ter sempre a determinação de que ainda há muito para evoluir. Jogo a jogo, aí vamos nós. Vejo as coisas de igual forma, com diferença de dois pontos. Temos de recuperar bem, preparar o jogo das competições europeias e, passado três dias, estamos a jogar de novo para o Campeonato. A nossa caminhada é esta. Foi assim que começámos há dois meses e é assim que vamos até ao fim.

Classico

RESULTADO IMPORTANTE, NÃO DECISIVO

“Foi importante para nós. Se perdêssemos ficávamos a quatro pontos; vencemos e temos dois de vantagem. Ainda há muitos pontos por disputar e acredito que temos de continuar no mesmo registo. Foi o Benfica, o clube, o treinador e os jogadores, que deram a volta à situação [a sete pontos do líder ao topo da classificação]. Já disse anteriormente, na antevisão, que no nosso primeiro jogo, aos 20 minutos, estávamos a perder por 0-2 [Rio Ave] e foram os adeptos que puxaram pela equipa e nos ajudaram a vencer. Temos agora dois pontos de vantagem, mas mantemos a tranquilidade e o equilíbrio no nosso trabalho.”

Classico

ONZE DO FC PORTO SURPREENDEU?

“Não era um onze difícil de acertar do nosso lado, olhar para o nosso registo nos últimos cinco/seis jogos. Conheço bem a equipa técnica do FC Porto, muito competente, que não se baseou apenas nesse onze, mas sim em perceber – como o treinador disse – aquilo que são as nossas dinâmicas e tentou contrariá-las. No entanto, temos de nos reinventar e cada jogo tem a sua história. Temos a nossa dinâmica, mas depois há um lado estratégico para preparar. Estávamos preparados para um 4x4x2 ou um 4x3x3 e eu disse aos jogadores que havia situações pelas quais tínhamos de esperar, e uma delas era a posição do Herrera. Jogando com um segundo médio, o FC Porto tem uma dinâmica, jogando com um terceiro médio o sistema seria de 4x3x3, com uma dinâmica diferente. Já tínhamos visto um grande clássico na meia-final da Taça da Liga e hoje [sábado] voltou a ver-se um grande jogo de futebol – pena a expulsão – com um comportamento exemplar dentro de campo de ambas as equipas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.