Benfica B perde inglóriamente com Académica de João Alves

O Benfica B bateu-se com galhardia, mas perdeu por 0-1 na receção à Académica na 21.ª jornada da II Liga, no Caixa Futebol Campus. Nos momentos-chave da finalização, a Briosa aproveitou melhor.

Um cruzamento de Corchia, a partir do flanco direito das águias, aqueceu os instantes iniciais da partida, mas, do outro lado, a Académica, aos 7′, também criou problemas, com Djoussé a fugir na direita e, já importunado por Nuno Tavares, a chutar na área para defesa de Zlobin. O camisola 39 da Briosa ainda conseguiu fazer a recarga e acertou no poste direito.

As equipas tentaram construir ataques, variando as possibilidades de entrada nos espaços defensivos, mas foi prevalecendo a qualidade tática nas duas metades do terreno de jogo, anulando-se, na meia hora inicial, eventuais desequilíbrios que pudessem proporcionar flagrantes ocasiões de golo.

Todavia, no seguimento de um lance de bola parada (livre lateral sobre a direita), a Académica, treinada por João Alves (glória benfiquista), deu trabalho a Zlobin e deixou a defensiva da casa em sobressalto: Zé Castro cabeceou para grande intervenção do guardião russo e, na insistência, chutou com força e atingiu o poste direito, aos 40′. Volvido pouco tempo (45’+2′), o central dos estudantes, devido a problemas físicos, teve de ser substituído por João Real (foi a segunda alteração forçada na Académica neste período do encontro, depois de Djoussé ser rendido por Hugo Almeida aos 28′).

Um grande pontapé de meia distância de Benny (45’+4′) ainda colocou Peçanha à prova, e o guarda-redes da Académica teve mesmo de se aplicar para, a dois tempos, segurar a bola. O primeiro tempo, todavia, fechou como começou, 0-0, embora o Benfica B tenha “goleado” na posse de bola (71%).

Mais intenso e rápido nas movimentações e na ligação dos lances, o Benfica B entrou no segundo tempo com um remate perigoso de Willock (46′). O internacional Sub-20 inglês, aos 52′, esteve novamente em destaque numa arrancada pela direita, seguida de cruzamento para o cabeceamento de Zé Gomes ao primeiro poste, errando o alvo por muito pouco.

Um contra-ataque dos visitantes, aos 71′, deixou Júnior cara a cara com Zlobin, que foi superior no duelo e impediu o golo. Aos 72′, na sequência de mais um livre lateral à direita, o camisola 10 da Académica, Jonathan, aproveitou um ressalto de bola para chutar com perigo. 

Porém, aos 76′, a Briosa inaugurou o marcador por intermédio de Jonathan, que, na pequena área, foi feliz na forma como captou a bola (ressalto nas pernas de Kalaica) cruzada a poucos metros de distância por Romário Baldé (0-1).

De livre direto, as águias ameaçaram aos 84′, com o remate de Jota a fazer passar a bola rente à trave. Nesta altura do desafio já os encarnados haviam esgotado as substituições: entraram Saponjic (76′), Nuno Santos (81′) e Bernardo (81′), saíram Zé Gomes, Willock e Benny.

No primeiro minuto de compensação, Zlobin parou um cabeceamento de João Real após pontapé de canto. O Benfica B ainda forçou o empate no tempo que lhe restava, mas sem sucesso: 0-1, resultado final.

Onze inicial do Benfica B: Zlobin; Corchia, Kalaica, Pedro Álvaro e Nuno Tavares; Tiago Dantas, Benny e Gonçalo Ramos; Willock, Jota e Zé Gomes.

Suplentes: Fábio Duarte, Alex Pinto, Zec, Vukotic, Nuno Santos, Bernardo e Saponjic.

Boletim clínico: David Tavares (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Vitalii Lystcov (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Diogo Mendes (lesão muscular na face anterior da coxa esquerda); Daniel dos Anjos (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho direito); Pedro Henrique (entorse na tibiotársica esquerda).

Na próxima ronda, a 22.ª, o Benfica B visita o Varzim, as 11h00 do dia 16 de fevereiro (sábado).

Renato Paiva

“Faltou-nos apenas o último passe”

Renato Paiva (treinador do Benfica B): “Em termos de processo e de querer bola, estivemos praticamente todo o jogo por cima. Faltou-nos o último passe. Chegámos a zonas de criação, com alguma facilidade, com muita qualidade e critério, faltou-nos depois descobrir o homem livre, ocupar as zonas de finalização como queremos. Houve muito cérebro até chegarmos àquela zona e depois houve mais coração do que cérebro naquele momento. É um facto que a Académica teve as melhores oportunidades, algumas delas por erros nossos, pelo risco, por aquilo que é o nosso processo de crescimento e de jogo. Tenho pena que tenha corrido tão bem até ao último terço e depois os jogadores não tenham tido o critério que era necessário. A maturidade e a experiência só se adquirem com prática, de treino e de jogo. Senti a equipa bastante madura em muitos momentos da partida, tanto que nem estávamos tentados a mexer. Alterámos quase apenas para refrescar a equipa a nível físico.”

Pedro Álvaro (defesa-central do Benfica B): “A Académica também tem uma grande equipa, está a fazer uma segunda volta muito interessante, tem muitos jogadores de I Liga. Estávamos a controlar bem o jogo. A primeira parte foi de posse, mas eles também tiveram boas oportunidades. Foi um jogo equilibrado, a Académica acabou por sair por cima. Há que continuar a trabalhar.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.