Benfica B empata em Mafra

Um jogo muito discutido, com alternâncias no comando dos acontecimentos, terminou com uma igualdade (1-1) na visita do Benfica B ao Mafra na 20.ª jornada da II Liga.

Jogando a favor do vento na primeira parte do jogo disputado no Estádio do Parque Desportivo Municipal de Mafra, a equipa da casa procurou tirar proveito desse fator e acercou-se da grande área do Benfica com alguma frequência nos minutos iniciais.

Porém, a pouco e pouco, as águias tentaram puxar para o seu lado o controlo do encontro e a iniciativa. Aos 11′, Nuno Santos libertou-se no lado esquerdo do ataque e cruzou largo, com muito perigo, para a zona do segundo poste. Uma boa bola que, todavia, não foi capitalizada pelos companheiros.

À falta de melhor solução, foi num remate de meia distância que Rui Pereira ameaçou a baliza encarnada, fazendo a bola passar perto do poste direito (21′).

[GOLO: 1-0] Harramiz, aos 22′, surpreendeu o guarda-redes Zlobin, que recebera a bola e tratava de lhe dar destino com os pés. A ação, no entanto, ficou a meio caminho por intervenção do avançado do Mafra, que se apoderou do esférico e depressa o tocou para as redes.

O Benfica B ripostou de imediato e retomou o futebol que estava a produzir.

[GOLO: 1-1] A reposição da igualdade, aos 24′, foi consequência natural da reação das jovens águias, com Zé Gomes, um pouco descaído para a direita, já em cima da pequena área, a chutar para dentro da baliza mafrense, depois de um lance construído na direita e que deu azo a uma defesa do guardião Godinho.

O Benfica B podia ter pulado para a frente do marcador aos 32′ e aos 35′, mas Godinho, o keeper do Mafra, parou os remates ameaçadores de Nuno Santos e Gonçalo Ramos.

O equilíbrio prevaleceu dentro das quatro linhas e as equipas recolheram às cabinas para tempo de intervalo com 1-1 no marcador.

O Mafra apertou no arranque da segunda parte e Zlobin teve de voar, aos 52′, para sacudir por cima da trave um remate feito por Bruninho à entrada da grande área.

Renato Paiva efetuou duas alterações na equipa benfiquista aos 53′: saíram Ferro e Nuno Santos, entraram Kalaica e Bernardo Martins (uma estreia absoluta de águia ao peito).

Aproveitando espaços no corredor central, Bruninho, aos 68′ e 69′, infiltrou-se na zona defensiva do Benfica B, mas Zlobin, no cara a cara, foi superior e susteva ambas as tentativas do médio do Mafra.

Pedro Henrique, aos 75′, foi a terceira cartada de Renato Paiva. Ex-Leixões (tal como Bernardo), o avançado estreou-se pelas águias rendendo Willock.

Aos 80′, Bernardo abriu na direita, Alex Pinto recebeu, cruzou atrasado e o mesmo Bernardo disparou contra o corpo de um adversário. No minuto seguinte, Alex Pinto voltou a estar em jogo no corredor direito e centrou para o corte de um defensor do Mafra, que quase fazia autogolo. Zé Gomes, num tiro cruzado na direita da área, forçou Godinho a uma boa defesa aos 84′.

Nesta fase do encontro o Benfica B estava por cima e criava embaraços à defensiva mafrense. A equipa visitada ainda se esforçou por replicar na ponta final, mas o empate 1-1 perdurou até ao apito final.

Onze do Benfica: Zlobin; Alex Pinto, Pedro Álvaro, Ferro e Nuno Tavares; Florentino Luís, Tiago Dantas e Gonçalo Ramos; Nuno Santos, Willock e Zé Gomes.

Suplentes: Fábio Duarte, Kalaica, Jorginho, Bernardo Martins, Csoboth, Pedro Henrique e Saponjic.

Boletim clínico: David Tavares (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Vitalii Lystcov (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Diogo Mendes (lesão muscular na face anterior da coxa esquerda); Daniel dos Anjos (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho direito).

Renato Paiva

“É assim que os jogadores crescem”

Renato Paiva (treinador do Benfica B): “Estou satisfeito com o que a equipa fez, mas não com o empate. O erro é natural de quem quer e tem de jogar assim. Estamos num clube grande. Hoje, quem não esteve aqui não percebe o vento que está. Podíamos bater 20 bolas para a frente que viria sempre para trás. O que disse no balneário foi: sempre que errarmos assim, este é o caminho. A errar, tem de ser assim, porque os nossos jogadores vão crescer muito com estes erros e sentimos que estamos a prepará-los cada vez mais e melhor para a primeira equipa. O jogo foi excelente, na minha opinião. Tivemos duas equipas que quiseram jogar, ter bola, explorar os espaços exteriores e interiores. É assim que os jogadores crescem, e os treinadores também. Estou muito orgulhoso com o trabalho que os jogadores fizeram em difíceis condições climatéricas, mas não vamos abdicar nem um milímetro naquilo que é o nosso modelo de jogo.”

Gonçalo Ramos (médio do Benfica B): “Foi um jogo muito dividido, eles entraram melhor, mas depois equilibrámos. O adversário tornou a entrar melhor no segundo tempo, tivemos de sofrer um pouco, mas na reta final estivemos melhor e o jogo podia ter caído para qualquer lado. Esta partida serviu de aprendizagem para a equipa num campo muito complicado.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.