Bruno Lage: “Objetivo era ganhar e reconquistar o público”

Sport Lisboa e Benfica e Rio Ave disputaram, este domingo, a 16.ª jornada da Liga NOS. A formação de Vila do Conde esteve mesmo a ganhar por 0-2 na Luz, mas uma resposta espetacular, plena de mérito dos homens comandados por Bruno Lage, ditou o triunfo final, por 4-2.

No final do desafio, o treinador analisou as principais incidências, revelou que este momento foi um marco na sua carreira, contudo, o elogio e o mais importante foi a postura da equipa e a exibição convincente da mesma. Reconquistar o público, mostrarem que homens são e que equipa querem formar: foi este o mote dado pelo técnico às águias…

Reorganização com confiança

“Foi um bom jogo, com duas partes distintas! Os primeiros 20 minutos a tentarmo-nos encontrar na partida, o Rio Ave foi melhor aí, aproveitou muito bem esse nosso desencontro e chegou à vantagem, mas estivemos sempre confiantes, tranquilos, reorganizámo-nos, reerguemo-nos e a capacidade de superação dos atletas foi magnífica. Os três pontos e a exibição desses 20 minutos para a frente devem-se fundamentalmente a eles e ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos anos.”

Benfica-Rio Ave

Seferovic e João Félix na frente

“Foi algo em que pensei quando assumi. Tentar aproveitar o facto de termos vários pontas de lança e alterar o sistema, mas isso agora vale o que vale… Se fosse sempre assim, jogar com dois pontas de lança e cada um deles marcar dois golos, todas as equipas jogavam em 4x4x2. Foi apenas uma opção, até porque ao longo dos anos, anteriormente, já se tinha jogado em 4x4x2 e conquistado várias coisas, e em 4x3x3 também, estes jogadores têm essa capacidade. A equipa terminou o último jogo em Portimão a jogar-se em 4x4x2, com atitude e posicionamento muito positivo, e eu tentei tirar partido disso.”

Benfica-Rio Ave

João Félix: a posição e a dinâmica

“Vocês olham muito para o sistema, mas não olham para a dinâmica do sistema. Independentemente de onde jogava, eu via era um João a jogar muito bem entrelinhas e apenas isso. É como vocês dizerem que nós, na equipa B, jogamos em 4x3x3… Então, convido-vos e faço-vos o desafio de olharem para o nosso jogo e verem se é mesmo assim.. Porque temos três médios? Se amanhã colocar um central a ponta de lança, estou a jogar em que sistema? Não olhem para os jogadores, para as posições, olhem para as dinâmicas e para os espaços que ocupam.”

Benfica-Rio Ave

Preocupações ofensivas ou mais defensivas?

“O que senti neste jogo é que, para além do aspeto defensivo, em determinados momentos podemos ter mais a bola e, a partir daí, evitar que em situações de transição a equipa fique exposta. Mas o futuro é treinar amanhã!”

Benfica-Rio Ave

Estreia como treinador da equipa principal

“O mais importante é olhar para aquilo que foi feito, para os jogadores. Os treinadores algumas vezes são aplaudidos, outras vezes não são, mas o mais importante foi o trabalho que os jogadores fizeram… É verdade que é um marco na minha carreira, é a estreia na I Liga, aqui no Estádio da Luz, com uma vitória, uma exibição convincente, mas o mais importante foi aquilo que os jogadores fizeram, o trabalho que têm vindo a realizar e, acima de tudo, aquilo que lhes pedi, reconquistarem este público, mostrarem os homens e os jogadores que são e a equipa que querem formar… É esse o caminho e logo se vê o que vai acontecer mais à frente!”

Benfica-Rio Ave

Treinador a prazo?

“Sinceramente, no primeiro dia, falei um minuto com o Presidente, que me disse para eu preparar o jogo com o Rio Ave, e no dia seguinte falei um minuto com o Rui Costa, que me disse que a partir de agora eu era o treinador do Benfica, que era eu que mandava. A partir daí, marquei treino para amanhã, e esse é o nosso futuro, o amanhã, e o treino de amanhã.”

“Senti um total apoio de uma estrutura muito forte. O Presidente foi muito claro, muito simples: ‘O míster Rui saiu, temos de preparar o treino de amanhã e o jogo com o Rio Ave’; e no dia seguinte o Rui Costa disse-me: ‘És o treinador da equipa A, as pessoas têm de perceber isso, e independentemente do tempo que estiveres, tens de sentir isso.’ E foi isso que aconteceu! Nestes dias, o meu foco foi estar concentrado e preparar o jogo.”

Um abraço para o míster Rui Vitória

“Quero enviar um abraço ao míster Rui Vitória. Não nos podemos esquecer do trabalho realizado ao longo dos últimos três anos e meio, seis títulos conquistados no total e um trabalho fantástico com estes jogadores. Durante seis meses tivemos uma relação de amizade e profissionalismo, enquanto treinadores da equipa A e da equipa B.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.