Relvado e rotação não impedem 6º vitória seguida sem sofrer golos

Em Montalegre, num relvado pesado e débil, que se deteriorou com o evoluir do jogo, o Benfica venceu por 0-1 e qualificou-se para os quartos de final da Taça de Portugal. Apesar de ter criado várias oportunidades de golo, foi num lance de laboratório (canto) que as águias acertaram nas redes, num cabeceamento de Conti. São seis vitórias seguidas e zero golos sofridos.

Entre o frio e alguma chuva, a equipa do Benfica, com muitas variações no onze em relação ao último desafio oficial, começou a aquecer a noite em Montalegre aos 4′, quando Zivkovic, com um passe curto de cabeça, serviu João Félix no eixo da área. O toque final do jovem atacante, porém, não foi perfeito e a defensiva da casa despachou o esférico daquela zona.

Depois de uma tentativa aos 11′, Seferovic esteve ainda mais perto de agitar as redes aos 13′, mas o guarda-redes Tiago Guedes voou e desfez as possibilidades de sucesso do cabeceamento do internacional suíço das águias.

Taça é Taça e o Montalegre estava em campo também com o objetivo de justificar a chegada aos oitavos de final da competição. Com velocidade e força no espaço ofensivo, a equipa transmontana aproveitou uma fase de menor intensidade do Benfica para algumas subidas à área contrária, procurando surpreender nomeadamente no seguimento de cantos.

[GOLO: 0-1] Do outro lado do campo, a equipa de Rui Vitória também somava lances de bola parada. Aos 31′, num pontapé de canto executado por Zivkovic sobre o lado direito, Conti elevou-se à entrada da pequena área e cabeceou com força e colocação, batendo Tiago Guedes. Foi o primeiro golo do defesa-central argentino com a camisola do Glorioso.

Antes do correr do pano na etapa inicial, o Benfica teve o 0-2 na cabeça de Jardel, no aproveitamento de mais um canto batido por Zivkovic, mas Tiago Guedes estirou-se e bloqueou o cenário de um segundo festejo dos encarnados.

Com o avançar dos minutos, o relvado, muito frágil, foi-se degradando, o que complicou a tarefa de uma equipa mais tecnicista como a do Benfica. Ainda assim, o segundo tempo abriu com duas ameaças de golo das águias: Seferovic chutou para defesa de Tiago Guedes (46′) e Corchia rematou de fora da área, acertando na parte exterior do poste esquerdo.

Montalegre-Benfica

Ao minuto 54 ocorreu o primeiro lance polémico na área da equipa visitada: Zivkovic viu a sua marcha travada pelo guarda-redes Tiago Guedes, mas o árbitro não assinalou penálti. Aos 58′, nova controvérsia: João Félix esgueirou-se pela direita e pareceu ter sido tocado por Vítor Alves na grande área, mas, mais uma vez, a equipa de arbitragem liderada por Manuel Oliveira entendeu não ter existido falta para castigo máximo.

O segundo golo dos encarnados esteve para acontecer aos 59′, mas João Félix, na pequena área, perdeu o duelo com o guardião Tiago Guedes, depois de um passe de Zivkovic sobre a esquerda. Conti, aos 63′, ficou muito perto de bisar, mas o cabeceamento, no seguimento de canto de Zivkovic, foi sustido pelo keeper da casa.

O estado do terreno dificultou a elaboração e o jogo foi perdendo brilho a partir dos 65/70 minutos. Em Trás-os-Montes, o Benfica cumpriu o objetivo: vitória e apuramento para os quartos de final da Taça de Portugal. O sorteio das próximas duas rondas está marcado para sexta-feira.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.