Rui Vitória: “Estamos na fase de retoma”

O Benfica foi à Pérola do Atlântico vencer o Marítimo por 0-1, em jogo da 13.ª jornada da Liga NOS. Rui Vitória considerou o triunfo justo, elogiou a capacidade e a consistência das águias, sobretudo a defender e sublinhou que é fulcral manter esta fase de retoma.

Triunfo difícil, mas justo

“Estou satisfeito. Ganhámos e justamente. Foi um jogo difícil, como costuma ser por tradição. O Marítimo é uma equipa que se bate bem no seu estádio, tem valor e nós conseguimos ganhar. Com o Petit está uma equipa mais organizada e compacta. Na primeira parte tivemos muita concentração, solidez e fomos consistentes. Não deixámos o adversário sair muitas vezes em contra-ataque; na segunda parte entrámos com qualidade na circulação de bola, tivemos oportunidades para marcar o segundo golo. Não o fizemos, o adversário acreditou, mas fomos a melhor equipa em campo e merecemos vencer.”

Melhorar jogo a jogo

“Este foi mais um jogo que vencemos. É continuar nesta fase de retoma, jogo a jogo, colocando a nossa qualidade nos jogos. Temos de deixar tudo em campo e depois descansar para pensar no jogo seguinte. Agora será para a Taça de Portugal e depois logo teremos oportunidade de pensar no SC Braga.”

“Temos noção, em todos os momentos, que queremos melhorar a equipa. Saímos de um período que não foi fácil, que todas as equipas passam e estamos numa fase de retoma. Temos de o fazer com consistência, melhorando a qualidade. A equipa tem de ter este processo. Isto tem de ser passo a passo.”

A importância de saber como ganhar cada adversário

“Todos os testes são complicados, temos é de saber como é que os podemos ultrapassar. Hoje soubemos, controlando muito bem o nosso sector recuado, explorando o corredor direito com a entrada do André [Almeida] e até é desse corredor que surge o lance para a grande penalidade. Saber como temos de ganhar cada adversário é fundamental.”

Gabriel fundamental na luta do meio-campo

“Era fundamental controlar a faixa esquerda nomeadamente com a entrada do Edgar Costa. Foi uma forma de criar uma maior proteção ao corredor direito. O jogo ia ser mais direto e ia entrar na luta das segundas bolas, e o Gabriel é mais poderoso do ponto de vista físico. Serviria para controlar a partida e, a partir daí, sair para uma situação de ataque.”

Sem desalentos com a equipa

“Desalentado? Estou a trabalhar da forma que entendo, estando quieto, a falar… Não tenho nenhum desalento com a equipa ou com os jogadores. O que faço é: intervir quando acho que o tenho de o fazer ou estar quieto quando acho que é o melhor. Tínhamos de ganhar este jogo desta forma.”

Os alicerces da consistência defensiva

“A consistência defensiva é importante em qualquer equipa do mundo. Temos de ser consistentes em todos os processos. Fomos uma equipa sólida, mas ainda assim não gostei da forma como o adversário saiu em transição numa ou noutra ocasião. A equipa está com rigor, bem posicionada e a defender bem. Estes são os alicerces. O que faltou foi dar maior expressão ao resultado e podíamos tê-lo feito, pois temos capacidade para o fazer.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.