Vitória no Bonfim foi curta e dura

O Benfica arrancou três pontos em casa do Vitória de Setúbal (0-1) e, com três triunfos seguidos, desenhou a sua melhor série na Liga NOS 2018/19 (iniciada em Tondela e prosseguida na receção ao Feirense e no Bonfim). Mais: em termos absolutos, nos últimos três jogos oficiais (incluindo Taça da Liga), a equipa de Rui Vitória não sofreu qualquer golo e marcou sete.

Perante um Vitória de Setúbal rijo e que, nalguns momentos da primeira parte, abusou da dureza com o beneplácito do árbitro Carlos Xistra, o Benfica quis jogar futebol.

O primeiro cenário de perigo foi construído, porém, num lance de bola parada a penalizar uma infração do guarda-redes Cristiano (agarrou a bola fora da área e viu um cartão amarelo). Na execução do correspondente livre direto, Jonas tentou colocar a bola por baixo da barreira, mas não teve sucesso (13′).

[GOLO: 0-1] Zivkovic, aos 17′, iniciou o ataque que terminou com a bola a beijar as redes sadinas. Sobre a esquerda, o internacional sérvio, com um passe curto, entregou o esférico a Grimaldo, que, com metros livres por diante, avançou pelo espaço e depois desmarcou Gedson na esquerda; o jovem formado no Benfica, lendo bem o posicionamento dos companheiros na área, cruzou rasteiro (assistência) para a conclusão de Jonas, de primeira, com o pé esquerdo.

Com mais posse (59%) na etapa inicial, o Benfica aproximou-se do 0-2 numa incursão de Grimaldo pela esquerda: o lateral furou por entre os adversários e rematou cruzado para fora, com a bola a passar muito perto do poste direito (23′). Zivkovic, aos 29′, aproveitando uma bola que parecia perdida, disparou de fora da área de pé direito e acertou no ferro!

V. Setúbal-Benfica

O mesmo Zivkovic, aos 36′, foi protagonista de uma excelente recuperação, neutralizando um contragolpe perigoso dos sadinos (desarme a Éber Bessa na hora exata). Na dezena de minutos que antecedeu o tempo de intervalo foi difícil jogar no relvado do Bonfim, mas o derradeiro sinal de perigo saiu da bota direita de Gedson, que, na área setubalense, chutou por cima da barra.

O segundo tempo iniciou-se com o Benfica a explorar o ataque, a pensar no segundo golo. Um pontapé de Rafa, de fora da área, fez a bola passar sobre o travessão (49′).

Zivkovic, aos 56′, conseguiu melhor, introduziu o esférico na baliza num chapéu de muito longe, mas o lance foi invalidado pela equipa de arbitragem, que assinalou fora de jogo ao camisola 17 das águias, que, no entanto, partiu de posição perfeitamente legal. Mais um equívoco!

Logo a seguir, Rafa, fugindo na direita da área, picou por cima do guardião, mas a bola subiu em demasia e passou sobre a barra (58′). A equipa benfiquista voltou a ter o 0-2 à mercê aos 68′: Jonas jogou curto para Rafa, que, na área, fintou um contrário e chutou de pé esquerdo para enorme defesa de Cristiano a impedir os festejos encarnados.

Dentro do último quarto de hora do desafio, Zivkovic arriscou um remate pela esquerda para defesa apertada de Cristiano (79′).

Os sadinos ripostaram e arriscaram tudo na parte final; o Benfica replicou com ataques rápidos, e num deles Rafa foi parado de forma irregular na direita (88′), mas a equipa de arbitragem de Carlos Xistra, com mais uma decisão difícil de entender, não considerou a evidente infração.

Aos 89′, Odysseas, com uma intervenção coberta de competência, susteve um cabeceamento muito perigoso de Jhonder Cadiz no coração da área, confirmando a vitória pela qual a equipa batalhou.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.