Quem é afinal Nicolás Castillo?

Nicolás Ignacio Castillo Mora, ou simplesmente Castillo, é reforço da equipa de futebol do Benfica para a época 2018/19. O avançado, de 25 anos, representava os mexicanos do Pumas onde fez vibrar os adeptos com os dotes goleadores que já mostrara no Universidad Católica, do Chile, onde nasceu a 14 de fevereiro de 1993.

Filho de Humberto, antigo futebolista de um pequeno clube chileno chamado Lourdes, Castillo ganhou o gosto pelo futebol com o progenitor. Desde tenra idade exibia talento para o futebol com os amigos nas ruas de Rinca, bairro onde vivia em Santiago do Chile.

Aos quatro anos, Castillo entrou nas escolas do Lourdes onde permaneceu até aos sete. Adepto do Universidad Católica por influência do avô, que o levava aos jogos da equipa, Castillo, ainda assim, ingressou nos escalões de formação do Colo Colo. Em 2005, porém, começou a realizar o sonho de vestir a camisola do emblema chileno com que mais se identificava, ali permanecendo até 2013. Passou pelos vários escalões jovens e em 2010, com apenas 17 anos, assinou o seu primeiro contrato profissional.

Castillo

ALGUNS NÚMEROS DE CASTILLO

Clube Golos
Pumas (México) 26
Universidad Católica (Chile) 58
Brugge (Bélgica) 13

Leonardo Zamora

Leonardo Zamora: “É muito potente, gosta de jogar e faz jogar a equipa”

Sem ser um avançado muito alto (1,80 m), El Zlatan, alcunha por que é conhecido por ser admirador do estilo do sueco Zlatan Ibrahimovic, Castillo é descrito por quem o conhece como muito forte e letal na hora de atirar à baliza.

Em declarações exclusivas ao Site Oficial, Leonardo Zamora, que foi treinador adjunto de Mario Salas na seleção de Sub-20 do Chile e no Universidad Católica em 2016, retratou um jogador que conhece tão bem como as palmas das suas mãos.

“Nicólas é um avançado muito potente, que remata muito bem. Além de ser um bom ponta de lança, é um avançado de área, um bom jogador de equipa, que gosta de jogar e fazer jogar a equipa. Tem um remate muito bom, tem um bom jogo aéreo, não sendo um avançado muito alto. Funciona bem como avançado referência”, revelou.

O pé direito é o mais forte, mas também marca golos com o pé esquerdo. É igualmente um bom executante de livres diretos e grandes penalidades”, acrescentou o treinador sobre o internacional chileno.

Castillo

Castillo já teve experiência no Velho Continente. Passou pela Europa entre 2013 e 2016 e agora está de regresso. Leonardo Zamora considera que este é o momento ideal e o clube certo.

“Parece-me que Castillo está num momento, pessoal e de maturidade, que o posiciona melhor agora do que quando esteve na Europa pela primeira vez. Parece-me que Portugal, pelo futebol que joga e pelo país em si, que é mais latino do que os países onde esteve, permitirá que se sinta mais confortável para exibir as muitas qualidades que tem. Já viveu uma temporada fora, no México, e parece-me mais bem preparado. O futebol português é mais exigente. Porém, com a mentalidade que tem agora, com a evolução que fez, com a sua maturidade atual e pelo profissional que é, não tenho dúvida de que, se mantiver o nível que mostrou no Universidade Católica e no México, vai ter sucesso no Benfica”, assegurou.

E a pressão dos adeptos e do Benfica enquanto clube que luta para conquistar todas as provas em que participa? “Castillo é um rapaz que sempre demonstrou que sabe aguentar a pressão e lutar pelo campeonato numa equipa grande. No Universidad Católica foi bicampeão e foi goleador”, apontou.

Michel Preud'homme

Michel Preud’homme: “Verdadeiro avançado que finaliza rapidamente”

Aos 20 anos, Castillo registava 29 golos no Universidad Católica e chamou à atenção do Club Brugge, que o contratou. Na Bélgica, foi treinado por Michel Preud’homme, antigo guarda-redes do Benfica, que naquela altura multiplicou elogios sobre o internacional chileno.

“É um verdadeiro avançado, que procura finalizar rapidamente. Se vê uma oportunidade de finalizar, não há dúvida de que vai marcar. Procura sempre o melhor caminho”, disse então Preud’homme à Imprensa belga.

Um dos aspetos que mais saltam à vista em Castillo é a capacidade que demonstra nas bolas paradas, nomeadamente nos livres diretos e nos penáltis, e na pressão que coloca sobre as defesas contrárias.

“Treina bastante os livres diretos. Já sabíamos que ele era bom nesse aspeto quando o adquirimos. É agressivo no ataque e pressiona imenso os defesas”, elencou Preud’homme.

Castillo

“Um matador sempre com vontade de que alguém o assista para fazer golo”

Seguiram-se curtas passagens por Mainz (Alemanha) e Frosinone (Itália) antes de regressar ao Chile. Castillo juntou o talento inato à maturidade, fez golos em catadupa, mormente um póquer na vitória, por 2-6, frente ao Deportes Iquique e juntou-lhe mais quatro bis. Tal acutilância deixou o avançado que, entretanto, se estreara pela principal seleção do Chile, nos radares do Pumas.

No país dos sombreros entrou a todo o gás e deixou rendidas algumas glórias de outros tempos do Pumas. Luis García considerou Castillo “um matador, um ‘animal’”, alertando que ele “está sempre com vontade de que alguém o assista para fazer golo”.

Enrique Borja seguiu pelo mesmo diapasão: “Castillo é um grande goleador. Pode estar sempre a concretizar.”

Castillo

Mal chegou, em 2016/17, para jogar no Torneio Clausura, Castillo registou a impressionante média de 1,08 golos por jogo, terminando essa temporada com 21 tentos em 25 encontros.

A vida corria bem ao avançado dentro e fora dos relvados – assumiu, em entrevista à FOX Sports, sentir-se bem e poder usufruir neste país de outros hóbis como o golfe ou o ginásio que tinha em casa – e isso refletia-se nos números. Em 2017/18 deu seguimento ao faro pelo golo, terminando a época com 18 golos – três bis e um hat-trick (este em abril, há pouco mais de um mês, frente ao Puebla) – em 32 jogos em todas as competições pelo Pumas, sendo que registou, ainda, três assistências.

Agustin Marchesin, guarda-redes do América do México, cruzou-se no campo com o agora reforço das águias e ficou rendido: “É um grande jogador que vem demonstrando uma qualidade imensa. É sempre bom enfrentar jogadores com esta classe.”

Castillo

Carreira recheada de golos e títulos

Aos 25 anos, Nicolás Castillo soma 97 golos ao serviço de clubes. Desde cedo se destacou dos demais e isso deu origem a vários PRÉMIOS individuais na formação e nos seniores:

  • Melhor jogador da formação do Universidad Católica (2010);
  • Goleador do Campeonato Sub-17 (2011);
  • Melhor jovem jogador da Taça Sul-Americana (2012);
  • Eleito para o onze ideal do Campeonato Sul-Americano de Sub-20 (2013);
  • Melhor marcador da primeira divisão no Chile – Torneio Apertura e Clausura (2016).

Castillo

Em termos coletivos, CONQUISTOU:

  • 1 Copa América;
  • 1 Taça da Bélgica;
  • 1 Liga Clausura do Chile;
  • 1 Liga Apertura do Chile;
  • 1 Taça do Chile;
  • 1 Supertaça do Chile.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.