Os destaques do Benfica, 1 – Moreirense, 0

481259_ori_liga_nos_benfica_x_moreirenseNum jogo pobre a todos os níveis, ouve ainda lugar a alguns destaques que merecem ser aqui realçados.

Jonas: O autor do golo decisivo. Jonas terminou com 34 golos na prova, sendo o melhor marcador. Frente ao Moreirense registou três disparos, dois deles enquadrados, mas desperdiçou uma ocasião flagrante. Mais de um mês depois, o melhor marcador do campeonato voltou ao onze titular de Rui Vitória e mostrou o porquê dos adeptos encarnados suspirarem pelo seu regresso. Para além do golo que marcou – que colocou os encarnados na Champions – , Jonas lutou sempre contra a muralha defensiva dos cónegos, recuando várias vezes no terreno em busca de bola. Falta-lhe ritmo, mas enquanto a equipa foi levando assobios, Jonas levou a ovação da tarde…

Zivkovic: Num jogo sem grandes rasgos individuais, o sérvio Zivkovic acabou por ser o melhor da partida no Estádio da Luz. Ainda assim, sem uma daquelas exibições de empolgar a bancada. O médio tentou seis vezes o cruzamento, tendo sido eficaz em dois, e completou dois de quatro dribles. Para além disso, colocou a bola oito vezes na área contrária e ainda registou quatro desarmes.

Luisão: A forma como o brasileiro se despediu dos adeptos pode fazer supor que este terá sido o derradeiro jogo do capitão benfiquista de águia ao peito. Se foi, então fê-lo com qualidade. O defesa-central esteve imperial nos duelos individuais, tendo ganho dez de 14, e oito de dez aéreos. E ainda registou oito acções defensivas.

Álex Grimaldo: Jogo muito energético do espanhol, um dos mais inconformados em campo. O lateral completou duas de quatro tentativas de drible e foi o jogador com mais acções com bola, nada menos que 101. Quando Grimaldo está em dia sim, é difícil parar o espanhol nos lances de ataque. Na defesa, pouco foi o trabalho que teve, mas cumpriu de forma exemplar quando foi chamado. No ataque, voltou a ter Jonas por perto, com várias tabelas perigosas, e voltou a fazer uma sociedade interessante com Franco Cervi. Esteve em grande parte dos lances de perigo da equipa de Rui Vitória

Pizzi: É inegável que Pizzi não atravessou uma época fácil, a nível individual, fruto, também, do rendimento coletivo. E isso ficou mais uma vez evidenciado nesta partida com o Moreirense. O médio encarnado tentou sempre linhas de passe que ninguém via, rematou várias vezes em busca do golo mas voltou a faltar algo… Foi, mais uma vez, o sacrificado de Rui Vitória e os assobios sentiram-se na Luz…

Uma palavra ainda para o adversário Alfa Semedo. O guineense, formado pela academia do Caixa Futebol Campus, estava a ser o melhor em campo quando cometeu uma grande penalidade, aquela que acabou por decidir a partida. Mas, tirando isso, o central realizou uma excelente partida, tendo ganho todos os três duelos aéreos que disputou e realizado 20 acções defensivas, entre elas oito intercepções e nove alívios.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s