Benfica B altamente penalizado pela maior experiência do Académico de Viseu

O Benfica B perdeu, este domingo, por 1-5, na receção ao Ac. Viseu no jogo que encerrou a 24.ª jornada da Ledman LigaPro (II Liga).

Os encarnados regressaram ao Caixa Futebol Campus, onde têm dominado nos últimos tempos. A jovem formação das águias vinha de cinco triunfos consecutivos em casa – além da vitória no terreno do Varzim (3-1) na 23.ª jornada – mas acabou por ser travado pelo Ac. Viseu.

Com aspirações claras e assumidas à subida de Divisão, entrou melhor o conjunto de Manuel Cajuda – no encontro que marcou a sua estreia no comando da equipa – com um golo logo aos 11’. Aproveitando uma desatenção da defesa encarnada, Sandro Lima rematou para o 0-1.

O Benfica B melhorou a partir dos 20 minutos de jogo, a surgir com perigo na área adversária. O primeiro aviso foi aos 24’. Remate de Heriberto Tavares e a bola passou muito perto das redes da baliza de Peçanha. A história repetiu-se 5 minutos depois, com os mesmos interveniente e o mesmo desfecho.

E como quem não marca sofre, o Académico de Viseu alargou a vantagem aos 38’ (0-2). Novamente Sandro Lima a coroar uma bonita jogada de entendimento coletivo. Minutos depois (41’), o terceiro golo dos forasteiros, com Avto a rematar sem hipóteses para o russo Zlobin.

Depois de uma bola ao ferro de Francisco Ferreira, num remate de meia-distância, Heriberto Tavares fez o 1-3 já após os 45 minutos. Com este golo (o 23.º da conta pessoal, mais um que Ivan Cavaleiro), tornou-se o jogador com mais golos neste II Liga pelo Benfica B.

No regresso dos balneários, um Benfica B mais controlador, a dominar o encontro. Faltou a finalização. As oportunidades até surgiram e as estatísticas assim o comprovam. Mais remates, mais posse de bola, mas várias oportunidades desperdiçadas no segundo tempo que poderiam ter ditado um resultado diferente.

No melhor período do Benfica B – com consecutivos momentos de perigo –, num lance de contra-ataque, o Académico de Viseu chegou ao quarto golo. Um hat-trick de Sandro Lima (1-4) antecedeu o remate de Avto (90’) que fechou as contas no Caixa Futebol Campus (1-5).

Um resultado que não espelha o que se passou no jogo… Um 1-5 fruto, sobretudo, da eficácia nas oportunidades criadas pela formação visitante que quebrou, assim, a série de sete jogos sem vencer.

No final do jogo, o treinador Hélder Cristóvão e o capitão Francisco Ferreira assumiram que faltou aos encarnados uma entrada forte.

“Creio que a entrada foi má, ao contrário daquilo que tínhamos pedido. O que tínhamos projetado para este jogo era uma entrada forte e sabíamos que uma mudança técnica no Académico iria trazer fatores anímicos que se vieram a comprovar depois”, começou por dizer o treinador da equipa B do Benfica, em declarações à BTV.

Embora a equipa encarnada não tenha levado a melhor sobre o Académico de Viseu, Hélder Cristóvão confessa que está satisfeito pela forma como o Benfica B reagiu.

“Até ao 4-1 nós estivemos sempre dentro do jogo, com a possibilidade de inverter a situação. Fomos dando ferramentas aos jogadores, fomos criando situações diferentes, mas sabíamos que, se não marcássemos, o desgaste iria aparecer e foi o que aconteceu”, analisou.

“O golo veio tarde, nessa altura já tínhamos criado duas/três situações, mas o futebol é isto mesmo. Deixa-me satisfeito a forma como reagimos, a forma como nos instalámos no meio campo contrário, sabendo que pela frente tínhamos uma equipa muito experiente. Um adversário que jogou com o relógio, jogou com o árbitro, jogou com tudo e conseguiu e há que dar os parabéns”, concluiu.

“Aprendermos o que conta no futebol é a eficácia”

Francisco Ferreira falou numa “derrota pesada”, mas garantiu que é com os erros que se aprende.

“É uma derrota pesada para o jogo que fizemos e para as oportunidades que conseguimos criar, mas também serve para nós aprendermos que o que conta no futebol é a eficácia, é fazer golos. Eles conseguiram fazer nas oportunidades que tiveram, nós não, mas faz parte e vamos continuar a trabalhar”, confessou o capitão.

Apesar da derrota, Ferro afirma que a equipa consegue tirar ilações positivas do jogo.

“É verdade que tivemos uma entrada menos positiva, mas é como eu digo, depois disso demos a volta, conseguimos criar muitas oportunidades, até para empatar o jogo, mas não se proporcionou. Penso que conseguimos tirar coisas positivas do jogo e é nisso que temos de nos centrar”, disse.

Na próxima jornada, a formação comandada por Hélder Cristóvão – agora na 10.ª posição com 34 pontos – desloca-se ao terreno do Real Sport Clube. A partida está agendada para as 11h15 do dia 18 de fevereiro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s