Aposta na formação no Andebol colhe mais frutos agora com Carlos Resende

formacao_entrevista_5out_newVêm da formação do Benfica e vivem agora o primeiro ano de integração na equipa Sénior de andebol. Pedro Santana, Francisco Pereira e André Alves são apenas três dos rostos do sucesso que tem sido a aposta na Formação.

Pedro Santana, o lateral esquerdo de 18 anos que se evidenciou na vitória do Benfica sobre o São Bernardo – entrou na segunda parte e foi o melhor marcador com cinco golos – vive, agora, ainda com idade de Júnior, uma “experiência muito boa”. “Está a ser muito bom integrar esta equipa, estamos a obter bons resultados e a nossa evolução está a ser muito positiva”, disse em declarações ao Site Oficial do Benfica.

Um processo evolutivo positivo, necessário e valorizado por André Alves, o ponta-direita que, aos 20 anos, vindo também ele dos Juniores, joga pela primeira época na equipa principal de Andebol do Benfica.

“Estamos a crescer, ter bons resultados e agora é continuar com um bom ritmo. É um sonho integrar esta equipa”, salientou, explicando o ambiente que se tem vivido no balneário. “Tem sido muito bom, eles [jogadores mais velhos] conseguem transmitir-nos muito bem a experiência e nós, aos poucos, vamos adquirindo essa aprendizagem. Temos crescido muito, como jogadores mas não só…”, revelou.

Chegar à equipa principal é um sonho e o grande objetivo da maioria dos jogadores mais jovens e o Benfica, com esta vincada aposta na formação – convicta e transversal a todas as modalidades – tem permitido aos jovens mostrar a sua qualidade.

“Aqui no Benfica todos nos dão [jogadores e treinadores] muita liberdade para evoluirmos e trabalharmos com os melhores. Esta aposta na Formação é muito favorável para os jovens, permite-nos mostrar a nossa vontade, a nossa qualidade, e o que realmente valemos”, disse André Alves, ele que, tal como outros jogadores, foram aposta do treinador.

“O Benfica dá-nos essa grande liberdade de mostrar o nosso potencial e a nossa qualidade. Acho que é assim que a formação deveria trabalhar nos outros clube e nos outros países também”, prosseguiu Pedro Santana.

Os objetivos da época

 As metas para a temporada estão bem definidas, tanto individuais como coletivas e são transversais a todos. A nível individual esperam “melhorar, evoluir e conseguir melhores resultados”. Coletivamente, o objetivo é claro: “ser campeão, cumprir os objetivos traçados no início da época e ir o mais longe possível em todas as competições.”

Habituados a terem pavilhões cheios onde quer que vão, invadidos por uma maré vermelha, Pedro Santana, Francisco Pereira e André Alves reforçam o pedido e deixam o apelo.

“Que nos venham apoiar ao Pavilhão porque nós estamos cá sempre para vos tentar dar alegrias”, prometeu Pedro Santana.

“Que estejam connosco sempre. Nós nunca vamos desistir deles, portanto não desistam também de nós”, reforçou Francisco Pereira.

“Que nos apoiem para todo o lado, como têm feito até aqui. Que continuem até ao final da época”, rematou André Alves.

Uma experiência nova para Pedro Santana, Francisco Pereira e André Alves, três caras novas do plantel – que vieram dos Juniores para a equipa principal de Andebol do Benfica – mas também para Carlos Resende, que chegou esta temporada ao Benfica, vindo do ABC.

Considerado, de forma quase unânime, como um dos melhores jogadores de andebol português de todos os tempos, o técnico chegou com dois principais objetivos: lutar por títulos e potenciar os jovens da formação.

“O professor Carlos Resende é um grande treinador. Tem-nos dado novas ideias e novas abordagens do andebol e a sua perspetiva do jogo e tem-nos ajudado mesmo muito a evoluir como jogadores e como pessoas também”, admitiu Pedro Santana.

“É muito bom e gratificante trabalhar com ele, tendo também em conta toda a sua carreira como andebolista, uma carreira que fala por si. Para além de ser um grande treinador, é uma ótima pessoa e isso ajuda imenso”, acrescentou o ponta direita de 20 anos, André Alves.

Numa altura em que a equipa é líder isolada do Campeonato Nacional e continua na luta nas restantes competições, André Alves acredita que esta é uma aposta convicta, não só do treinador mas também do Clube.

“É uma aposta que tem corrido bem, é uma aposta, acredito eu, convicta. Temos correspondido às expectativas e agora é continuar a trabalhar todos os dias para não parar de evoluir”, reforçou.

O técnico encarnado tem ainda promovido treinos diferentes – como foi o caso da sessão de trabalho na praia de Carcavelos ou o treino conjunto de paintball – que pretendem melhorar aspetos físicos mas também psicológicos.

“A variedade de desportos dentro do desporto – ou seja, minijogos – ajuda-nos bastante porque promove aquela competitividade saudável e amigável entre o próprio plantel. Essas pequenas brincadeiras e esses treinos diferentes são muito bons porque nos unem mais e acho que é imprescindível para o espírito de grupo. A equipa fica cada vez mais coesa e isso ajuda-nos imenso a obter grandes resultados”, explicou Francisco Pereira.

Leave a Reply