Rui Vitória: “A Liga tem 34 rounds e o que interessa é o final”

O treinador do Benfica mostrou-se satisfeito com a exibição da equipa frente ao Paços de Ferreira (2-0), jogo que encerrou a série de três jogos sem vencer dos encarnados.

«É um jogo que deve ser analisado em duas vertentes: pelo que fizemos e pelo que não deixamos o Paços fazer. Entrámos fortes, mostrámos o nosso poder e qualidade, fizemos golos e tivemos sempre o controlo do jogo, sem deixar o Paços sair em contra-ataque. Ganhámos por 2-0 mas tivemos mais oportunidades, a nossa postura foi aquela que o jogo pedia, só ficaram mais golos por marcar», disse à BTV, recusando a ideia que esta foi a melhor exibição do Benfica esta temporada:

– Já fizemos exibições de qualidade, esta foi mais uma bem conseguida. Jogámos a um ritmo alto durante todo o jogo, obrigámos o Paços a correr muito e as oportunidades foram surgindo. Fica essa salva na finalização, mas fizemos um grande jogo.

A vitória dá ânimo à equipa antes do duelo com o Basileia para a Liga dos Campeões, na próxima semana: «Ganhar é importante e alimenta-nos o estado de espírito. Mas sabemos o caminho que temos de percorrer. Vai ser um jogo de cariz diferente, mas estamos preparados e vamos com vontade de ganhar em Basileia.»

O triunfo sobre o Paços de Ferreira (2-0) colocou um ponto final na série de três jogos sem vencer para o Benfica, mas o técnico dos encarnados frisou que nada mudou.

«Resposta ao mau momento? Não precisamos de responder a ninguém. Sentimo-nos bem com o que estamos a fazer e estamos aqui para lutar até à exaustão para ganhar todos os jogos. Não foi uma resposta para ninguém, e uma resposta para nós», começou por dizer em conferência de imprensa.

E acrescentou: «Quando não ganhamos é evidente que não ficamos satisfeitos, mas sabemos o nosso trabalho. Isto não se resolve com dois golos e uma série de bolas falhadas. Temos de continuar a trabalhar.»

Fez depois a seguinte analogia: «O campeonato é um combate de boxe: tem 34 assaltos, estamos no sétimo. Ninguém ganha um combate vencendo todos os assaltos. Esta fase não nos tirou do sério, uma vitória também não. Vamos continuar o nosso trajeto.»

O treinador do Benfica elogio a postura de Sérgio Conceição, homólogo do FC Porto que acusou a Imprensa de retirar declarações suas do contexto quando foi questionado sobre a crise de resultados do rival da Luz.

O técnico dos dragões acabou por afirmar que respeita tantos as instituições como os treinadores de Benfica e Sporting.

«Acho que essas declarações são um exemplo, são muito positivas. E levantam uma reflexão sobre o que é andarmos a preocupar-nos com o acessório em vez do que é fundamental. O treinador do FC Porto não fez referência objetiva em relação a ninguém, a mim quando me perguntaram sobre a crise fiz questão de separar as coisas e falei da crise de um ponto de vista genérico. Esses despiques não beneficiam o desporto. E os treinadores devem dar bons exemplos. Não sei quem beneficia com essas intrigas e confusões, a nós (treinadores) não nos interessa nada», disse em conferência de imprensa.

Ainda antes da conferência de imprensa, já Rui Vitória tinha falado na Flash Interview.

 

Leave a Reply