Portal das águias faz um 11 “Made in Benfica” que brilha na europa

onzeideal_22setembro_noticiaNa data em que o Centro de Formação e Treino comemora 11 anos, elaborámos um onze composto por atletas que não precisaram de nascer mais do que uma vez para deixarem a sua marca nos principais campeonatos da Europa.

Em 11 anos, o Caixa Futebol Campus foi o lar de muitos jovens que trabalharam arduamente para terem a sua sorte numa realidade de exigência máxima e em que a percentagem daqueles que vingam é manifestamente baixa. O jornal O Benfica escolheu onze jogadores que, com maior ou menor influência na equipa principal dos encarnados, conseguiram despertar a atenção dos melhores clubes da Europa.

Devido aos valores envolvidos nas suas transferências, é provável que Ederson, Lindelöf, Renato Sanches e Gonçalo Guedes tenham sido as mais mediáticas. No entanto, é impreterível referir os casos de João Cancelo, Bernardo Silva ou André Gomes, que atualmente militam em três dos maiores colossos do Velho Continente (Inter de Milão, Manchester City e Barcelona, respetivamente).

Outros, como Roderick Miranda, Ivan Cavaleiro, Nélson Oliveira e Pedro Rebocho, foram paulatinamente trilhando os seus caminhos longe dos holofotes, mas são hoje referências nas suas formações, os três primeiros no Championship e o último na Ligue 1.

Onze: Ederson (24 anos) Man. City; João Cancelo (23 anos) Inter, Roderick Miranda, (26 anos) Wolverhampton, Victor Lindelof (23 anos) Man. United, Pedro Rebocho (22 anos) Guingamp, André Gomes (24 anos) Barcelona, Renato Sanches (20 anos) Swansea, Gonçalo Guedes (20 anos) Valência, Bernardo Silva, (23 anos) Man. City, Ivan Cavaleiro (23 anos) Wolverhampton e Nélson Oliveira (26 anos) Norwich City.

No dia em que se completam 11 anos do Caixa Futebol Campus, vale a pena compor uma espécie de roteiro turístico-desportivo, com passagens obrigatórias por cidades e clubes onde aterraram alguns dos jovens talentos formados no Seixal e que ajudam a afirmar aquilo que é, hoje, marca de renome mundial. O jogador made in Benfica.

Nélson Semedo – Barcelona – Sucedem-se os elogios da crítica espanhola ao sucessor de Dani Alves na equipa culé. Titular em três dos cinco jogos disputados na Liga espanhola, vai criar raízes na equipa.

Bernardo Silva – Manchester City – O seu grandioso talento é uma rima em andamento, com estrofes únicas de genialidade. Fabulosa adaptação a uma equipa de autor e que, esta época, está mais próxima dos desejos do seu treinador.

Ederson – Manchester City – Disputado por alguns dos principais clubes europeus, o guarda-redes brasileiro rapidamente se afirmou na baliza do City. Grandes exibições e um talento raro, confirmam-no como um dos guarda-redes de maior potencial do futebol mundial.

Renato Sanches – Swansea – País de Gales – Emprestado pelo Bayern, sem direito de opção, Renato cumpre um ano de experiência competitiva na Premier League. Cortejado por vários clubes europeus, foi num clube de média dimensão do campeonato inglês que encontrou o lugar certo para recuperar a alegria do seu jogo e a frescura exibicional. Elogiado por Paul Clement, seu treinador, que vê no contagiante talento de Renato uma espécie de farol técnico e físico para uma embarcação que não desaproveitará a hipótese de navegar em águas internacionais.

Gonçalo Guedes – Valência – Depois de Paris, agora um clube de gama média-alta do campeonato espanhol. Fulgurante exibição, a meio da semana, frente ao Málaga, tornou o extremo português num dos reforços mais reconhecidos do Valência. Treinador, colegas, adeptos e crítica. Todos rendidos ao talento e explosividade de Gonçalo Guedes.

Leave a Reply