Juíz do caso dos emails assume portismo mas não pede escusa do processo

classico-bob-9223721884-7248119940Foi a primeira coisa que o juíz Fernando Cabanelas disse assim que pegou no processo, que visa travar o FC Porto de achincalhar o nome do Benfica na praça pública. Assumiu ser ferveroso portista desde sempre, mas não pede escusa do processo: “Importa começar por consignar expressamente que sou adepto do FC Porto, desde sempre, mormente no que ao futebol diz respeito, atividade que acompanho com particular atenção.”

E justifica: “Todavia, e num juízo subjetivo, entendo que tal não põe em causa a minha isenção e objetividade, razão pela qual não pedirei escusa do processo, mas ainda assim por uma questão de transparência e honestidade intelectual entendi dever fazer desde já tal menção.”

O senhor juíz Fernando Cabanelas, agora suspeito no processo, pretende ouvir o diretor de comunicação do FC Porto, assim como as quatro empresas associadas ao clube (SAD, clube, FC Porto Media e Porto Canal), antes de decidir definitivamente sobre a providência cautelar movida pelos encarnados. E volta a justificar dando como explicação de que este é um processo que se arrasta há vários meses, não havendo assim já qualquer efeito surpresa. E acrescenta: “Não se poderá defender que a audição ponha em risco sério o fim ou eficácia da providência”.

Fernando Cabanelas pretende ainda que os requeridos apresentem “uma única oposição conjunta”.

Note-se que apesar de este juíz não ter optado por se abster de pedir escusa, tanto uma parte do processo como a outra, podem no entanto fazê-lo.

Leave a Reply