Nomeação para o ECA trás grande responsabilidade e prestígio ao Benfica

img_817x460$2017_04_03_21_38_27_306642O administrador executivo da SAD do Benfica, Domingos Soares de Oliveira, integra a direção do Executive Board da Associação Europeia de Clubes (ECA) a partir desta terça-feira, dia em que foi eleito para o cargo em sufrágio para o biénio 2017/19, realizado no decurso da 19.ª Assembleia Geral daquele organismo em Genebra (Suíça).

“É um marco importante. Não é a primeira vez que um clube português está representado no conselho executivo da ECA, a anterior presença foi de Fernando Gomes que deixou aqui um trabalho que ainda hoje é recordado como um trabalho de excelência. Para o futebol nacional, eu creio que é, em primeiro lugar, uma grande responsabilidade. No fundo, esta eleição é feita por um conjunto diversificado de clubes, em representação de nove países. Portanto, houve aqui um reconhecimento daquilo que o futebol português tem trazido de inovador à indústria, mas sobretudo há que destacar que é também o reconhecimento do que a estrutura do Benfica tem conseguido assegurar ao longo dos últimos anos, com um conjunto de profissionais dos quais me orgulho de fazer parte. O seu desempenho tem vindo a ser apreciado pelos principais líderes desta indústria, quer em termos de clubes, quer em termos da própria UEFA”, começou por dizer, em declarações à BTV.

Uma eleição que traz ainda mais prestígio para o Benfica. “O facto de estarmos cada vez mais ligados com os grandes clubes e respetivos dirigentes é, obviamente, importante. O futebol hoje não é apenas dirigido pelas grandes instituições como a FIFA e como a UEFA. A Associação Europeia de Clubes tem vindo a ter um papel cada vez mais importante na definição daquilo que são as linhas mestras que vão reger o futebol. Nós, portugueses, temos tido um bom desempenho, com uma grande contribuição da parte do Benfica. Esta nomeação vai permitir afirmar o Benfica como um clube importante, do ponto de vista das decisões futuras, e beneficia também o próprio Clube pelo reconhecimento que a marca tem, neste momento, junto dos principais parceiros. Basta olhar para a lista do Executive Board e os clubes que lá estão representados… é fácil perceber o prestígio que acarreta para o Benfica esta eleição”, realçou.

“O Benfica, nos últimos tempos, tem evidenciado uma grande saúde – quer do ponto de vista desportivo, quer financeiro – que não tem passado despercebida. O facto de cada vez termos melhores resultados desportivos; de aparecermos – do ponto de vista competitivo – no top10 da Europa… isso só pode ser conseguido porque dentro da estrutura do Benfica há, claramente um desempenho em cada uma das áreas, onde temos excelentes profissionais. Tenho a certeza que isso é reconhecido pelos nossos parceiros europeus”, prosseguiu.

O administrador financeiro dos encarnados desempenhará cargo executivo entre 2017 e 2019. Até lá, são muitos temas para abordar e com objetivos bem traçados.

“Temos vários desafios, alguns específicos e outros comuns. Existe um primeiro tema, a possibilidade da existência de uma Superliga e a forma como os clubes podem ou não ter acesso a ela; existe um segundo tema que é extremamente relevante, até para o Benfica que é o centro de treino de excelência de jogadores; temos temas sobre as janelas de transferências… O objetivo é dar o melhor contributo para a discussão”, explicou, finalizando.

Leave a Reply