Entre bês e emprestados, quem pode sonhar com promoção à equipa principal?

api.slbenfica.ptSeis jogadores do Benfica fizeram pelo menos 10 jogos na equipa B e outros tantos na principal desde 2012/13: André Gomes, Gonçalo Guedes, Ivan Cavaleiro, Nelson Semedo, Renato Sanches e Victor-Nilsson Lindelof.

A saída deste último abriu uma vaga no quarteto de centrais do plantel principal. E ela será, quase de certeza, ocupada por alguém proveniente da B.

Branimir Kalaica estreou-se na última temporada, marcou um golo no Bessa e estará na linha da frente. O croata treinou quase sempre com Rui Vitória e jogou quase sempre por Hélder Cristóvão.

Obviamente, não é descabido que Rúben Dias entre na luta, até porque a época é longa e a forma e a evolução dos jogadores muda. É firme dizer, porém, que um dos dois vai completar o quarteto dos centrais, se não houver mais nenhuma saída.

Subindo um pouco no terreno, Pedro Rodrigues. Natural de Sátão, no distrito de Viseu, Pêpê tem-se apresentado como um jogador fiável, com regularidade no meio-campo defensivo.

Fejsa é indiscutível no onze e Samaris a alternativa. Ainda assim, fruto das lesões do sérvio e da disciplina do grego, Pêpê pode espreitar um lugar no plantel e minutos em campo.

Da formação que terminou a II Liga 2016/17, outro nome destaca-se dos demais. Tal como Ruben Dias e Pêpê, Diogo Gonçalves esteve no Mundial sub-20 neste verão e foi uma das figuras do torneio.

Dotado de velocidade, técnica e bom remate, o problema de Diogo Gonçalves estará mais na concorrência existente para os lugares que ocupa. Mas é bom lembrar que Gonçalo Guedes também a tinha…

Apesar de ter estado emprestado na segunda metade da época, João Carvalho parece ter sido a aposta mais consistente dos encarnados.

A cedência ao V. Setúbal indicou um pouco isso. O Benfica quis dar-lhe tempo de Liga, experiência de primeiro escalão, para que Carvalho queimasse essa etapa e pudesse estar mais próximo do nível exigido pelo tetracampeão nacional.

Não há, ainda assim, certezas quanto ao futuro de João Carvalho, porque o próprio disse, em conferência com a seleção sub-21, que deve fazer a pré-época com Rui Vitória. Sem mais nenhumas garantias.

Quanto ao rol de emprestados, poucos terão sérias hipóteses de regressar à Luz. Isto apesar dos insistentes apelos de Marçal, lateral-esquerdo brasileiro que esteve cedido ao Guingamp. Se Grimaldo ficar e Eliseu também, dificilmente voltará um jogador que, ao fim e ao cabo, tem bastante mercado.

 

Leave a Reply