Sexteto defensivo titular na Luz com Maritimo ainda não sofreu golos

image.aspxEderson, Nélson Semedo, Luisão, Lindelof e Grimaldo, como Fejsa no apoio defensivo a meio-campo, é o sexteto com o qual Rui Vitória conta para chegar a Alvalade no próximo sábado e manter as redes encarnadas invioladas. Frente ao Marítimo, no Estádio da Luz, o técnico pôde voltar a dispor, pela segunda vez consecutiva nesta temporada, de todos os atletas citados e estes mantiveram a bitola que os tem distinguido: nos seis jogos que em 2016/17 alinharam juntos no onze titular das águias, o Benfica nunca consentiu qualquer golo.

Numa temporada marcada por lesões, Rui Vitória tem tido dificuldades em montar a defesa que volta agora ao ativo. Além dos dois últimos jogos na I Liga, contra Moreirense (1-0) e Marítimo (3-0), o treinador apenas pudera ter estes seis elementos noutras quatro partidas. Aconteceu frente ao Feirense (4-0 na sétima jornada), Belenenses (2-0 na oitava jornada) e nos dois embates com o Dínamo Kiev, na Champions (2-0 e 1-0). Com mais esta inviolabilidade das redes encarnadas frente ao Marítimo, o Benfica reforçou também uma tendência para sofrer poucos golos na mais recente fase do campeonato: nas derradeiras seis partidas, as águias só sofreram um golo, frente ao FC Porto (1-1).

Algo que Rui Vitória explicou, em declarações à BTV após o jogo de sexta-feira. “As equipas que jogam connosco podem fazer golos três maneiras: bolas paradas, saídas de contra-ataque e falta de vigilância defensiva. Temos de controlar essas três áreas e estamos a fazê-lo bem”, frisou o treinador do Benfica. Partindo do jogo com o Marítimo como exemplo, Vitória abordou ainda a maneira como a sua equipa trabalha no que diz respeito ao tal sexteto mais recuado dos encarnados. “Muitas vezes temos de saber defender com quatro, cinco ou seis elementos não podemos defender com dez. Há riscos, mas tem corrido bem”, analisou o técnico.

Leave a Reply