Afinal, presidente do IPDJ estava na comissão de honra de Bruno de Carvalho

maxresdefaultO Benfica não reage oficialmente à proposta do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) para que pague uma multa de 37.250 euros, por infrações relativas ao apoio de claques que não estão legalizadas. Ainda assim, fonte do clube alertou de forma ironica, por Augusto Baganha, antigo basquetebolista do Sporting, estar diretamente ligado ao processo. Sublinhe-se que Vítor Pataco, vice-presidente do organismo e visado pelos leões, foi diretor do Benfica Multimedia.

“Ora, não é verdade que o presidente do IPDJ [Augusto Baganha] foi membro da Comissão de Honra de Bruno de Carvalho? Pelas funções que exerce, não devia ter uma maior equidistância?”, questionou a nossa fonte, lembrando outros episódios. “Que tem o IPDJ a dizer sobre toda a novela e posterior silêncio em relação à claque da Seleção, que a própria Federação Portuguesa de Futebol recusou instrumentalizar?”, questionou, deixando ainda mais uma pergunta: “E que tem o IPDJ a dizer sobre a invasão ao centro de treinos dos árbitros e sucessivos casos de ameaça e coesão?”

Esta reação surge na sequência de um documento de 95 páginas, ao qual Record teve acesso, assinado por um técnico superior dos serviços centrais, e no qual são referidos vários autos da PSP a relatar acontecimentos relativamente ao apoio a No Name Boys e Diabos Vermelhos.

Como conclusão, foi proposta ao clube da Luz uma condenação pela prática de cinco infrações a 31 de agosto, 31 de outubro (duas) e 6 de dezembro de 2014 (duas), das quais três são relacionadas com o apoio a grupos organizados de adeptos não registados.

Leave a Reply