Enquadramentos possiveis para castigo (ou não) a Samaris

img_770x433$2016_01_19_00_48_11_1052616O soco de Samaris a Diego Ivo no tempo de compensação do Moreirense-Benfica tem feito correr muita tinta e coloca o médio encarnado no centro de todas as atenções, com várias vozes a pedirem um castigo para o jogador.

O internacional grego poderá vir a ser punido por ter sido apanhado em “flagrante delito”, um dos motivos previstos para processos sumários. Para que isso suceda, a Comissão de Instrutores tem três dias para elaborar o auto que será depois enviado ao Conselho de Disciplina, a quem cabe a decisão de castigar ou absolver o jogador.

No Regulamento Disciplinar da Liga, dentro da subsecção de “Infrações disciplinares graves”, o artigo 151.º, referente a “Agressões a jogadores”, indica que Samaris poderia ser suspenso entre um e 10 jogos, o que na pior das hipóteses colocaria um ponto final na temporada do camisola 7 das águias.

É o que está escrito na alínea a) deste ponto, que fala de agressões de jogadores a outros jogadores: “No caso de agressão, com a sanção de suspensão a fixar entre o mínimo de um e o máximo de 10 jogos e, acessoriamente, com a sanção de multa de montante a fixar entre o mínimo de 5 UC e o máximo de 50 UC”.

Outros enquadramentos

Ainda no artigo 151.º, a alínea b) fala em “resposta a agressão”, o que diminuiria significativamente a moldura penal (de um a cinco jogos) mas que, analisando as imagens da transmissão da Sport TV, não parecem enquadrar-se aqui, pois Samaris terá socado Diego Ivo sem que antes tenha existido qualquer reação da mesma natureza da parte do defesa do Moreirense.

Artigo distinto

Andreas Samaris volta estar envolvido em polémica, depois de na temporada passada um lance com Slimani ter gerado enorme polémica, embora com o argelino no olho do furacão por alegada agressão ao grego. O ex-avançado do Sporting acabaria por apanhar somente um jogo de castigo, na medida em que o seu ato foi inserido no artigo 154.º, respeitante a “Prática de jogo violento e outros comportamentos graves”.

Na jogada em causa nesse dérbi, Slimani atingiu Samaris, mas o Conselho de Disciplina considerou que foi numa disputa de bola, o que levou a que o lance fosse então enquadrado na tal prática de jogo violento, que consiste na “entrada física ao corpo do adversário que, ainda que a pretexto da disputa de bola, coloque em risco a integridade física desse adversário”.

Leave a Reply