Dupla mortífera resolve em Guimarães

380606_galeria_v_guimaraes_x_benfica_liga_nos_2016_17_campeonato_jornada_16-jpgO Benfica foi vencer por 2-1 o Vitória em Guimarães, na jornada em que regressaram aos convocados Salvio e Júlio César. O argentino foi mesmo titular e responsável por uma assistência para golo.

Mas a noite estava reservada para a dupla que encantou a época passada a nação benfiquista. Jonas e Mitroglou foram titulares, e dividiram os golos da partida. Jonas ainda fez a assistência para o grego elevar o marcador para os 2-0.

O jogo esteve no entanto longe de ser fácil. A equipa comandada (e muito bem) por Pedro Martins, teve posse de bola e atitude de “grande” a jogar no seu reduto. Aliás, à semelhança do que havia prometido para este jogo. Bom futebol e algumas chances não aproveitadas, foi o mote da exibição dos vimaranenses.

Quem não desperdiça, ou desperdiça pouco, é o Benfica. isto com Jonas em campo é outra loiça. Um golo e uma assistência, assim como algumas jogadas a espalhar perfume pelo relvado, fazem dele talvez o melhor elemento em campo. Tais foram as oportunidades criadas na frente de ataque e com elevada qualidade.

O Estádio Dom Afonso Henriques, que uma vez mais ofereceu um excelente ambiente de futebol, viu no entanto uma contrariedade para a equipa encarnada. Logo aos 17 minutos, Fejsa estica-separa fazer um corte (consegue) e lesiona-se na coxa. Foi forçado a ser substituído, tendo Samaris entrado para o seu lugar. O grego esteve também em boa evidência.

Voltando aos golos, temos de falar novamente em Jonas. O artilheiro-mor da última temporada marcou em Guimarães o seu primeiro golo da época. O seu jogo foi tal, que parecia que fazia tudo. O homem cruza e parece que é ainda é ele que a vai cabecear. Organizador e finalizador exímio este brasileiro que um dia o Valência de Nuno Espírito Santo resolveu dispensar. 380610_galeria_v_guimaraes_x_benfica_liga_nos_2016_17_campeonato_jornada_16-jpgMitroglou com Jonas parece outra coisa. O seu rendimento sobe a patamares pouco vistos quando alinha ao lado de outros parceiros no ataque. Foi dos pés do grego que o Benfica conseguiu chegar ao intervalo com um confortável 2-0, após golo seu a passe de Jonas aos 42 minutos.

Nos últimos 20 minutos as águias entraram literalmente em modo de “piloto automático” e jogaram na posse de bola sem arriscar e fechando todas as entradas possíveis para o Vitória chegar com perigo à baliza de Ederson.

Rui Vitória fez nesta altura as restantes duas alterações no onze, já depois de na primeira parte ter sido obrigado a fazer entrar Samaris para o lugar de Fejsa. Tirou Jonas e lançou André Horta para reforçar o centro no apoio a Samaris e Pizzi, e Zivkovic a fechar o encontro para o lugar de Salvio.

Nota ainda para o árbitro do encontro. Nuno Almeida teve vida difícil por parte de público e de quem estava nos bancos das duas equipas. Depois de uma semana conturbada onde se atacou em demasia o sector da arbitragem, podia-se esperar alguma condição psicológica do juiz de Monte Gordo, (A.F. Algarve) esteve com personalidade e sem erros de maior. Nota alta para o árbitro de 41 anos.

Veja o resumo aqui.

Nuno Alexandre Costa

Leave a Reply